Ilustração/Plano & Plano
Ilustração/Plano & Plano

Construtora dobra sua produção com habitação popular

Crescimento é de 33% em vendas líquidas da Plano & Plano, cuja carteira tem produtos de R$ 149 mil a R$ 300 mil

Especial para O Estado

13 Junho 2017 | 22h30

Com desempenho completamente voltado para o programa Minha Casa Minha Vida (MCMV), de habitação popular, a Plano & Plano lançou 11 empreendimentos na capital e Região Metropolitana de São Paulo. No total, foram 2,3 mil moradias em 2016.

Segundo os dados registrados pela Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp), os lançamentos representam a construção 28 blocos, com área total de 189 mil m² e valor global de R$ 469 milhões.

“Das unidades lançadas no ano passado, apenas 4,7% não se enquadravam no programa MCMV”, diz o sócio diretor da Plano & Plano, Rodrigo Luna. Em relação à produção de 2015, dobrou o número total de apartamentos.

Como diferencial, Luna diz que seus produtos, enquadrados no programa MCMV, têm torres altas e elevador, um padrão “diferente do praticado em geral para o segmento, que tem o térreo mais quatro andares”.

Outro atrativo dos empreendimentos, segundo ele, é o “forte apelo de mobilidade, em locais privilegiados pelo transporte público”. Luna destaca como principal caso de sucesso comercial o projeto Vila Arbori, no Campo Limpo, na zona sul.

“Foram comercializadas 200 unidades no final de semana do lançamento, já considerando a aprovação de crédito do cliente pela instituição financeira do projeto”, afirma o sócio da Plano & Plano.

No terreno de 61 mil m², serão construídas 760 unidades no total. São apartamentos de um e dois dormitórios, com área útil de 34 m² a 47 m², distribuídos em 19 torres.

Estratégia. Planejamento, foco e engajamento da companhia em atingir as metas formam, de acordo com Luna, o tripé da estratégia de negócios da Plano & Plano, “com foco em soluções e atuação nas questões em que temos o domínio”.

Em 2016, os negócios da Plano & Plano cresceram 10% em vendas brutas e 33% nas vendas líquidas em relação ao desempenho comercial de 2015, segundo Luna. “Isso foi possível pela qualidade dos produtos lançados, determinação e estratégia de comercialização”, avalia.

Na carteira da empresa, o menor preço é o do Plano & Ermelino, por R$ 149 mil, e o maior fica com o Inspire Mauá, de três dormitórios, por R$ 300 mil.

Luna argumenta que, neste momento, o principal desafio de qualquer empresa é continuar diminuindo seus estoques e cuidar do caixa. “Estoques que ainda sofrem com o volume dos distratos”, declara ele, referindo-se aos cancelamentos de contrato de compra de imóvel na planta. “A palavra de ordem é cautela e muita gestão com a carteira de clientes.”

Mais conteúdo sobre:
Campo Limpo

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.