Consultoria revê para cima previsão de preço de commodities

Se projeção da Economist Intelligence Unit se confirmar, Brasil pode ser beneficiado.

BBC Brasil, BBC

19 Julho 2007 | 19h51

A consultoria britânica Economist Intelligence Unit (EIU) disse em um relatório divulgado nesta quinta-feira que as cotações de algumas commodities, como matérias-primas para a indústria, e bebidas, alimentos e rações devem aumentar mais do que o previsto nos próximos meses. Se a previsão de confirmar, o Brasil, um dos líderes mundiais na exportação desses produtos, pode se beneficiar. O documento, uma previsão da EIU para o período 2007-2011, prevê que as cotações dos produtos crus para a indústria aumentem 11,6% apenas em 2007. No caso das bebidas, alimentos e rações, o reajuste no mesmo período deve ser ainda maior, chegando a 15,1%. Anteriormente, a consultoria previa uma valorização desses produtos em 6,3% e 10,6%, respectivamente. A EIU diz que, no caso de bebidas, alimentos e rações, a mudança na previsão reflete o impacto de secas em algumas regiões produtoras importantes e também o aumento da demanda por biocombustíveis. No mesmo documento, a consultoria também prevê um aumento na cotação do petróleo além do previsto anteriormente. A EIU diz que duvida que a Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) libere um aumento da produção de barris suficiente para que o atual desequilíbrio entre oferta e demanda no mercado seja revertido. A consultoria já havia divulgado previsões sobre a economia brasileira em junho. No documento desta quinta-feira, a EIU afirma que o país continua "altamente vulnerável" a instabilidades nos mercados de capital globais, devido ao alto nível de endividamento público. No trecho do relatório que trata do crescimento do PIB, a EIU também demonstra pessimismo. "O crescimento brasileiro vai se manter bem abaixo do registrado em muitos outros mercados emergentes, especialmente na Ásia, e da meta oficial de 5% em 2008", diz o documento. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.