Conteúdo criado por usuários é bom para a mídia, diz estudo

As empresas de mídia tradicionais devem se posicionar na busca por benefícios com a explosão de conteúdo gerado por usuários e ver nisso uma oportunidade, e não uma ameaça, apesar de as receitas potenciais serem limitadas, diz um relatório. O fenômeno de consumidores que contribuem com fotografias, vídeos e blogs afetou a indústria de mídia em 2006 por meio de sites na Internet como YouTube e, segundo um relatório da consultoria Deloitte sobre tendências para 2007, isso não deve mudar. A tendência gerou manchetes de que a mídia tradicional está perdendo influência com o consumidor, mas Howard Davies, diretor de estratégia de mídia da Deloitte, afirmou que a imprensa e a TV têm sido prudentes em recuar e ver como a prática se desenvolveu. Redes sociais "(Eles) estão muito bem posicionados para adotar algumas tecnologias e algumas práticas sociais emergentes... mas incorporar isso à mídia tradicional leva à criação de um produto em geral mais rico", disse ele à Reuters. Davies afirmou que o conteúdo gerado por usuários pode ser dividido em duas categorias, uma para os que buscam "cinco minutos de fama", por meio do YouTube e do MySpace, e outros que querem contribuir para uma discussão. Canais de notícias incluindo BBC e BSkyB mostraram conteúdo gerado por usuários, como imagens de celulares após os atentados de Londres, em 2005. O relatório completo da Deloitte sobre previsões para a mídia será divulgado no fim de janeiro.

Agencia Estado,

04 Janeiro 2007 | 09h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.