1. Usuário
Geral
Assine o Estadão
assine

Correção: Médico cubano é indiciado em Goiás

Agência Estado

26 Junho 2014 | 19h 25

A matéria enviada anteriormente continha uma incorreção no título. Segue a versão corrigida.

O médico cubano suspeito de abusar sexualmente de quatro pacientes grávidas foi indiciado pela polícia de Luziânia, cidade goiana do entorno do Distrito Federal. A delegada que acompanha o caso, Dilamar de Castro, avalia que o profissional, integrante do Programa Mais Médicos, abusou da confiança das pacientes para praticar os crimes.

O Ministério da Saúde afirmou, em nota, que está acompanhando o caso, que afastou o profissional das atividades e que está colaborando com as investigações da polícia. Assim que as denúncias vieram à tona, um processo administrativo também foi aberto. O pagamento da bolsa do profissional está suspenso, de acordo com o Ministério da Saúde, desde maio, quando as gestantes procuraram a Polícia Civil para denunciar o cubano. Além do médico acusado, outros 17 profissionais recrutados no Mais Médicos trabalham na cidade.