Creci alerta corretores sobre gangue que ataca em SP

Quadrilha se passa por possíveis compradores de casas no Morumbi para invadir imóveis vizinhos

AE, Agência Estado

19 Dezembro 2008 | 08h13

O Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo (Creci) confirmou a ação de quadrilhas que entram em casas vazias - à venda ou para alugar - no Morumbi, zona sul, e assaltam mansões vizinhas. Pelo menos seis casos foram registrados nos últimos dois meses. O Creci tem organizado palestras para alertar corretores e plantonistas sobre os roubos.   Veja também: Gangue que simula compra de casa ataca em São Paulo   "Hoje em dia o corretor toma cuidado ao agendar uma visita com um cliente e o plantonista das casas vazias também é orientado a não receber qualquer pessoa", explica o presidente do Creci-SP, José Augusto Viana Neto. Ele diz que a exposição de placas na porta dos imóveis serve como "mirante" para criminosos voltarem depois, renderem o plantonista e pularem o muro para a residência ao lado. Segundo Viana Neto, as corretoras seguem um padrão: agendam a visita pessoalmente e obrigam o "possível cliente" a preencher uma ficha. Os corretores, antes de sair para os encontros, avisam os colegas, para o caso de demorarem a voltar. O presidente do Creci diz que alguns profissionais têm saído acompanhados.

Mais conteúdo sobre:
criminalidade SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.