Cursinhos oferecem aulas em vídeo grátis e interativas

Atentos às novas mídias, os tradicionais cursinhos oferecem uma farta variedade de conteúdo aos internautas, independentemente de serem ou não alunos da instituição. Entre os principais serviços disponíveis, um que chama atenção são as aulas gratuitas e interativas em vídeo. "Queremos oferecer conteúdo de relevância para os estudantes", explica Assaf Faiguenboim, coordenador de tecnologia educacional do Anglo. Para ele, o excesso de fontes disponíveis na web "confunde os jovens". Pensando nisso, o curso oferece em sua página (www.cursoanglo.com.br) informações que vão muito além dos vídeos citados acima. Há dados sobre os principais vestibulares, textos e artigos separados por matérias e até explicações sobre as carreiras. No Objetivo (www.curso-objetivo.br), a coisa não é muito diferente. Mas, apesar de todo o conteúdo disponível online, o coordenador pedagógico do cursinho, Antônio Mario Salles, acredita que a participação do professor no processo de preparação para o vestibular ainda é fundamental. "É preciso haver uma orientação", afirma. A opinião de Salles encontra eco entre os educadores ouvidos pelo Link. "O estudante precisa sempre ser desafiado e a internet sozinha não cumpre esse papel", acredita Emerson Barreto, coordenador pedagógico do colégio Pentágono. VÍDEO-AULA No Anglo, os programas produzidos por professores são transmitidos ao vivo todos os dias, a partir das 15 horas, com recursos de animação, vídeo e interatividade. Os estudantes podem se comunicar com os entrevistados, enviando dúvidas que são respondidas na hora. Atualmente, nove atrações compõem a grade de programação da TV Web, que vão desde entrevistas com representantes de universidades até aulas propriamente ditas, sobre história, biologia, etc. Após a transmissão ao vivo, os programas ficam disponíveis on-demand. Em média, por dia, a TV Web chega a receber 8 mil visitas. Já no Objetivo, quarta-feira, às 15 horas, uma aula é colocada no ar abordando assuntos da atualidade. Os professores do cursinho comandam a vídeo-aula, que mais tarde fica disponível no site. O programa também é interativo e o aluno pode fazer perguntas em tempo real. É a sala de aula extrapolando os limites físicos da escola e indo parar na tela do seu computador – e o melhor, de graça. B.G.

25 Agosto 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.