1. Usuário
Geral
Assine o Estadão
assine


Delegado pedirá prisão de 4 que atacaram PMs na Rocinha

CLARISSA THOMÉ - Agência Estado

11 Março 2014 | 21h 29

O delegado Gabriel Ferrando, titular da Delegacia da Rocinha, vai pedir a prisão de quatro homens acusados de atacarem um carro da Polícia Militar e agredir PMs que patrulhavam a favela, na zona sul do Rio. Em imagens das câmeras de segurança da Unidade de Polícia Pacificadora, os quatro aparecem intimidando os policiais e destruindo o carro, com golpes de pá de pedreiro e tijolos lançados sobre a lataria do veículo. O episódio ocorreu em 25 de dezembro, mas só foi divulgado ontem pelo Jornal Nacional, da Rede Globo, que exibiu as imagens. Os PMs tiveram o carro cercado por um grupo, depois de apreenderem uma mochila. O grupo se posiciona em volta do veículo e alguns homens jogam tijolos. Os policiais saem do carro e são cercados. Um dos PMs é agredido, tenta prender o homem, mas é impedido por outro.

Foram identificados Alex Monteiro, Clayton Vieira Alves, Jony Moreira de Lima e Leandro Alves Coelho. Para Ferrando, a intimidação dos PMs é uma tática para "desestabilizar" a atuação dos policiais lotados em UPPs. A comandante da UPP da Rocinha, Priscila de Oliveira, disse que nenhuma ação vai alterar o planejamento do trabalho na favela. Nesta terça-feira, 11, a polícia apresentou o homem acusado de comandar ataque à UPP da Rocinha em 16 de fevereiro - na ocasião, a major Priscila ficou ferida. Paulo Roberto Santos, 44, conhecido como "Bradock", foi indiciado por tentativa de homicídio e tráfico de drogas.