Descubra se você tem o perfil do internauta 3G

Internet móvel compensa para quem não pode ficar sem conexão fora de casa e não costuma baixar arquivos pesados como filmes e música na web

Filipe Serrano e Marcus Vinicius Brasil,

18 Agosto 2008 | 00h00

A internet 3G é uma ótima saída para quem precisa de mobilidade, mas ela tem seus poréns. Apesar de rápida, não chega a velocidades extraordinárias; e os planos 3G são mais caros do que a banda larga fixa convencional oferecida pela Net (Vírtua) e pela Telefônica (Speedy) em São Paulo. Portanto, a banda larga móvel é mais indicada para quem realmente necessita se conectar em qualquer lugar. O engenheiro civil Hilário Gurjão, por exemplo, precisava de uma alternativa para acessar emails e navegar pela web enquanto visitava as obras em que trabalha. Como não baixa arquivos pesados, e por isso não precisa de uma conexão totalmente estável, o modem da Tim dá conta do recado. "Assinei o serviço assim que ele foi lançado, e ele ficou bem melhor nos últimos tempos. No começo o sinal era bom em poucos lugares, mas sempre satisfez minhas necessidades de uso", diz Gurjão. Cancelar de vez a internet de casa e trocá-la por um minimodem 3G compensa financeiramente em apenas dois casos. O primeiro perfil é o de uma pessoa que mora sozinha, não baixa muitos arquivos pesados da web (como filmes e músicas) e precisa de conexão mesmo fora de casa. Ela pode levar o minimodem e notebook para se conectar tanto no escritório quanto em uma reunião de negócios em um café. Ao chegar em casa à noite, usa a mesma conexão para navegar. Terá internet disponível em qualquer lugar com cobertura 3G pagando apenas uma mensalidade. Quando estiver fora da área de cobertura 3G – como em uma viagem –, a internet ainda estará disponível, mas com um desempenho menor (cerca de duas vezes a velocidade de uma conexão discada). O segundo caso é o de quem tem um plano de banda larga fixa bem básico, com velocidade de até 500 kilobits por segundo (Kbps). Nesse caso também pode valer a pena trocar a banda larga fixa pela móvel mesmo que você não a use fora de casa. O plano de 500 Kbps do Vírtua – com limite de tráfego de 10 gigabytes (GB) por mês – tem exatamente o mesmo valor (R$ 69,90) do plano de 500 Kbps da Claro, que não tem limite de tráfego. Já no Speedy, o plano mais lento é o de 1 megabit por segundo (Mbps), e o preço já é menor do que as mensalidades 3G com a mesma velocidade. Ter um minimodem 3G ainda compensa, obviamente, para as pessoas que não têm outra opção de banda larga na cidade, no bairro ou na rua onde moram. O sinal 3G, que é transmitido pelas antenas de celular, pode alcançar regiões que não são atendidas pelos provedores de internet rápida, e o minimodem se torna a única opção de ter uma conexão mais veloz do que a discada em casa. 3G E BANDA LARGA FIXA O caso mais comum é usar o modem 3G e ainda manter a banda larga de casa. Isso porque o usuário assina o plano para se conectar em qualquer lugar com o notebook durante o dia, mas a família ou as pessoas com quem ele mora não podem ficar sem internet em casa. Roberto Toledo, diretor de novas mídias da agência de publicidade Young & Rubicam, utiliza o serviço da Claro desde dezembro de 2007, quando a empresa começou a implementar a tecnologia em São Paulo. Com o 3G, ele passou ileso pelo apagão do Speedy e chegou a viajar de São Paulo ao Rio de Janeiro conectado à internet dentro de um ônibus. Apesar disso, ele continua com a banda larga fixa em casa, já que há outras pessoas que compartilham a internet com ele. Esse não é o único motivo para continuar com a assinatura da internet fixa mesmo depois de comprar um modem 3G. A velocidade da banda larga móvel raramente passa de 1 Mpbs, o que é pouco para quem deixa o computador ligado 24 horas por dia baixando arquivos. Se é esse o seu caso, e você pretende assinar um plano 3G para acessar a web fora de casa, considere não cancelar a internet fixa para fazer downloads. Um problema da internet 3G é que é mais difícil conectá-la a um roteador Wi-Fi, que serve para transmitir a conexão de banda larga pelo ar. Quem compartilha a internet dentro de casa terá de alterar configurações de rede no PC. A opção mais fácil é chamar um técnico; caso contrário, mantenha a internet fixa só para o Wi-Fi. Existem modelos de roteadores só para conexões 3G, como o DIR-451 da D-Link, testado pela reportagem. Ele funciona perfeitamente, só que custa por volta de R$ 500, bem mais caro do que os roteadores comuns. QUANDO NÃO VALE A PENA Esqueça a conexão móvel 3G se você assina ou pretende assinar TV por assinatura, banda larga e telefone juntos em um plano só. O preço da internet móvel não compensa. Mesmo assinando apenas dois serviços (telefone e internet ou TV por assinatura e banda larga), os descontos dos pacotes são grandes e o gasto mensal será mais vantajoso. A mensalidade de uma conexão 3G de 1 Mbps é de R$ 99,90. Por cerca de R$ 110 já é possível ter em casa TV a cabo e uma conexão com a mesma velocidade. A internet móvel, como diz o nome, só vale a pena mesmo para levar a internet aonde você estiver. Quem precisa de uma conexão de 3 Mbps ou mais também nem deve cogitar a banda larga 3G para o uso residencial. Os provedores de banda larga fixa tem conexões muito mais rápidas e estáveis, mesmo que o plano tenha velocidade de 1 Mbps.

Mais conteúdo sobre:
celular

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.