Desembargador volta atrás e suspende bloqueio ao YouTube

O desembargador Ênio Santarelli Zuliani, do Tribunal de Justiça de São Paulo, voltou atrás em sua decisão de proibir o acesso ao portal de vídeos YouTube, segundo explicou em despacho publicado na manhã desta terça-feira, dia 9. Por conta do caso Daniella Cicarelli, que foi flagrada por um paparazzi em cenas quentes com o namorado Tato Malzoni em uma praia espanhola, e cujo vídeo foi parar no portal, Zuliani quis impedir o acesso ao vídeo no endereço, mas sua decisão que acabou tirando do ar o site de vídeos YouTube. Zuliani justificou-se afirmando que a decisão foi motivada pela negativa do site em cumprir uma decisão judicial e que só foi aplicada pela impossibilidade de bloquear apenas o acesso ao vídeo da modelo. Segundo matéria publicada pelo site Consultor Jurídico, Zuliani determinou, ainda, "que se expeça ofício ao digno Juízo para que mande restabelecer o sinal do site YouTube, solicitando que as operadoras restabeleçam o acesso e informem ao Tribunal as razões técnicas da suposta impossibilidade de serem bloqueados os endereços eletrônicos". Das cinco empresas que operam os troncos de conexão internacional (backbone), a Brasil Telecom e a Telefônica já foram notificadas judicialmente e já bloquearam o acesso ao site. Brasil Telecom cumpre ordem Segundo o site Consultor Jurídico, no final da tarde desta terça-feira a Brasil Telecom cumpriu a ordem e liberou o acesso à página ao internautas que acessam através da empresa. Das cinco empresas que operam os troncos de conexão internacional (backbone), a Brasil Telecom e a Telefônica foram notificadas e bloquearam o acesso ao site. Os usuários da Telefônica continuam sem poder navegar no YouTube.

Agencia Estado,

09 Janeiro 2007 | 12h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.