1. Usuário
Geral
Assine o Estadão
assine

Dilma: governo mantém sistematicamente controle da inflação

Reuters

11 Abril 2014 | 11h 26

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira que o governo mantém sistematicamente o olho na inflação, mesmo quando devido à seca ou às chuvas há impacto no índice devido à alta nos preços de alimentos.

"Nós mantemos sistematicamente um olho e um controle na inflação mesmo quando, devido à seca que ocorre no Sudeste e à chuva torrencial que ocorre no Norte do Brasil e a seca que, graças a Deus, parece que estamos saindo dela no Nordeste, nós tivemos impacto nos produtos alimentares", disse Dilma em discurso durante inauguração de estação de tratamento de esgoto em Porto Alegre.

"Mas é importante olhar, primeiro, que isso é momentâneo, segundo, que há produtos que enquanto alguns sobem outros caem. E que a inflação nós iremos controlar sistematicamente", acrescentou.

O grupo Alimentação e Bebidas foi o principal responsável pela alta da inflação em março, quando o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) atingiu 6,15 por cento em 12 meses, aproximando-se cada vez mais do teto da meta do governo, de 4,5 por cento com margem de 2 pontos percentuais.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), alimentos e bebidas tiveram alta de 1,92 por cento em março, após avanço de 0,56 por cento no mês anterior. Dos 22 elementos que compõem o grupo, somente seis ficaram abaixo do teto da meta do governo.

Entre os destaques de alta dos preços aparecem itens importantes na mesa do consumidor como tomate, com alta mensal de 32,85 por cento e batata inglesa (35,05 por cento).

Em seu discurso, Dilma voltou a defender o equilíbrio das contas do governo, garantindo que o Brasil tem "robustez fiscal", e rebateu as críticas à política econômica. No mês passado, a agência de avaliação de risco Standard & Poor's rebaixou a nota de crédito do Brasil, apontando a desconfiança na política fiscal do governo.

"É interessante que muitas vezes no Brasil, você é criticado por ter o cachorro e outras vezes por não ter o mesmo cachorro", disse Dilma.

"Nós reduzimos sim imposto sobre a folha de pagamentos, porque era uma forma de melhorar a produtividade do trabalho. Reduzimos sim e era necessário. Nós fizemos políticas de sustentação do investimentos sim. Fizemos política de expansão da infraestrutura sim", afirmou.

(Texto de Pedro Fonseca e Felipe Pontes, no Rio de Janeiro)