Diretor do Into, no Rio, deixa o cargo em 4 de janeiro

O diretor do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), Geraldo Motta Filho, enviou comunicado aos servidores da instituição, anunciando que deixa o cargo em 4 de janeiro. Na carta, o ortopedista não esclarece os motivos de sua saída nem informa quem será o substituto. A troca na direção do instituto, localizado no Rio de Janeiro e referência para cirurgias ortopédicas de alta complexidade, ocorre uma semana depois que mais de mil pessoas terem feito fila em torno da unidade para marcar uma consulta médica para o primeiro semestre de 2013.

CLARISSA THOMÉ, Agência Estado

12 Dezembro 2012 | 19h32

Motta Filho é médico de carreira do Into e desde 2008 estava à frente da instituição. De 2005 a 2007, foi vice-diretor, responsável pela administração do hospital. Ele também é presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. No texto aos funcionários, o médico diz que vai "se dedicar a trabalhos assistenciais e acadêmicos".

A longa fila no Into foi alvo de críticas da população, do Sindicato dos Médicos e do próprio ministro da Saúde, Alexandre Padilha, que se referiu ao sistema de marcação de consultas como "arcaico". O ministro anunciou mudanças no atendimento no Into, com marcação informatizada e mutirão de cirurgia aos sábados. Hoje, 21 mil pessoas aguardam por uma cirurgia na instituição. Em alguns casos, a espera pode ultrapassar dois anos.

Mais conteúdo sobre:
Into diretor saída

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.