Dois dias de experiência cervejeira Teor alcoólico médio (de 5% a 8%)

Nos próximos dois dias, cervejeiros de São Paulo vão se encontrar no Beer Experience. A segunda edição do evento, que reúne produtores brasileiros, consumidores e importadores, começa amanhã e termina no sábado, no Espaço Vila Lobos. Mais de 30 cervejarias artesanais estarão representadas no encontro.

O Estado de S.Paulo

04 Outubro 2012 | 03h11

Ali, mais de 130 rótulos de cerveja poderão ser provados em 34 stands de bebidas. Entre eles, há novidades nacionais e importadas, que o Paladar apresenta.

O colunista Bob Fonseca e o repórter Daniel Telles Marques provaram em primeira mão três rótulos nacionais e três importados, com lançamento marcado para o evento. Leia os comentários ao lado, mas vá lá provar para tirar as próprias conclusões. Afinal, para um bom cervejeiro, provar novidades (boas e até mesmo as ruins) é melhorar o currículo.

E apesar de ir ao evento para beber, não deixe de conversar. "É importante o contato do cervejeiro com o consumidor. Dá um feedback para melhorar o produto", explica o organizador do evento, André Cancegliero.

E não se prenda a nacionalismos. "Beber cervejas belgas e americanas aumenta a informação do consumidor. Assim, ele pode exigir mais da cerveja nacional", completa Cancegliero.

Bob: O malte e o lúpulo herbal estão ali, mas a receita poderia ter menos residual adocicado. Uma versão filtrada também seria uma opção interessante.

Daniel: Vai bem no copo, mesmo que sobre fermento na garrafa. Ainda que pese na pança, refresca e tem amargor saudável, que dá água na boca.

Bob: Cadê o malte torrado, as notas de café e o chocolate no aroma? Eles até aparecem no sabor, mas de forma sutil. Ao menos a aveia contribui com o corpo da cerveja.

Daniel: A cerveja não faz aquela valsa da espuma no copo, mas na boca tem bom gosto doce de malte torrado, quase amargo de queimado.

Opera Oatmeal Stout

Origem: Brasil

R$ 13 no Beer Experience

Bob: Apesar das 115 unidades de amargor declaradas, tem residual adocicado perceptível. Precisa de mais lúpulo no aroma e amargor mais forte.

Daniel: Não dá aquele tranco do lúpulo na boca. Tem lá seu amargor, mas disfarçado num adocicado excessivo. Vai para o copo somente com algo no prato.

Invicta Imperial IPA

Origem: Brasil

R$ 13 no Beer Experience

Bob: IPA que usa um só tipo de lúpulo. Tem boas notas cítricas, de pinho, amargor destacado,

final seco e um quê de malte tostado. Para os já

versados em amargor.

Daniel: É cítrica e floral, mas apenas no aroma. Na boca, o amargor domina até as bochechas e dá uma secura na língua instigante e incômoda.

Opera Munnich Helles

Origem: Brasil

R$ 13 no Beer Experience

Founders Centennial IPA

Origem: Estados Unidos

R$ 10 no Beer Experience

Bob: Ganha um prêmio quem identificar, de nariz e boca, todos os lúpulos usados. Tem fortes notas cítricas, mas podia ser mais amarga e seca.

Daniel: 19 lúpulos compõem a receita e dão aromas de frutas, doces e flores. Da profusão de cheiros, fica na boca o cítrico adocicado, com bom amargor.

Mikkeller IPA 19

Origem: Dinamarca

R$ 20 no Beer Experience

Bob: IPA com boas e resinosas notas cítricas e de pinho, além de boa base de malte caramelo. No ajuste fino, podia ter um pouco mais de amargor

Daniel: Vale comparar com a Mikkeller 19. Como na receita só vai um tipo de lúpulo, bebê-la vira brincadeira de detetive para descobrir coincidência de sabores.

Mikkeller Bravo

Origem: Dinamarca

R$ 20 no Beer Experience

Beer Experience

Av. Gonçalo Madeira, 209, Jaguaré. 6ª (18h/2h) e sábado (12h/0h). Ingressos de R$ 40 a R$ 70. Informações pelo site: www.beer experience.com.br

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.