Em vez de comprar a música digital, alugue

A maioria dos consumidores não aceitou até agora o modelo de assinatura para alugar em vez de adquirir música, mas é provável que a situação mude ao longo do ano que vem, de acordo com o presidente do serviço online Napster. No passado sinônimo de pirataria de música online, o Napster agora oferece música por meio de um serviço de assinatura, mas vem sendo prejudicado pela liderança do iPod, da Apple, que, devido a questões de administração de direitos digitais, não pode executar música do Napster. Chris Gorog, o presidente-executivo do Napster, disse que a abordagem da Apple era "anticonsumidor", e que retardava o desenvolvimento do modelo por assinatura. Mas Gorog espera que o cenário mude à medida que os consumidores adotam celulares que operam também como players de MP3. Ele acredita que o acesso a um mercado mais amplo introduzirá mais fãs de música ao conceito de serviços ilimitados de música por assinatura. "O maior obstáculo até agora no caminho da adoção maciça do modelo de assinatura é o fato de que o iPod responde por vasta maioria do mercado de players de MP3", ele disse. "Mas a dinâmica que surgirá... neste ano é o fenômeno dos celulares dotados de capacidade para música", disse Gorog em entrevista à Reuters. "O Napster avançará de um mercado disponível... de praticamente zero para a onipresença", afirmou. Nos seus primeiros dias, o Napster quase sem ajuda lançou a onda de trocas de arquivos musicais via internet, mas foi forçado a fechar as portas em julho de 2001 depois de uma série de disputas judiciais sobre violação de direitos autorais. Em 2003, o site foi relançado como serviço de download legal. No começo do mês, a empresa anunciou ter assinado acordo para se tornar o serviço exclusivo de música por assinatura da America Online, o que lhe oferece acesso a 350 mil novos assinantes, além dos 566 mil de que ela dispõe no momento. Gorog disse esperar que a maioria dos usuários da America Online assine o Napster, o que o tornaria o maior serviço mundial de música por assinatura.

Agencia Estado,

31 Janeiro 2007 | 11h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.