Empresa lança nave que pode servir de ´hotel espacial´

O módulo inflável Genesis 2 é parte do projeto de uma base espacial privada

Agencia Estado

02 Julho 2007 | 08h54

A empresa americana Bigelow Aerospace colocou em órbita uma nave experimental, desenhada para testar a viabilidade de um hotel espacial. A Genesis II, um módulo inflável, foi lançada a bordo de um foguete russo e se separou de seu veículo de lançamento 14 minutos depois da decolagem. A estrutura flexível da nave ocupa menos espaço e é mais barata que as estruturas sólidas. Além disso, pode se expandir depois do lançamento. O bilionário, magnata do setor de hotéis e fundador da Bigelow Aerospace, Robert Bigelow, diz que espera usar a tecnologia inflável para construir uma estação espacial tripulada em 2015. Depois do lançamento, houve um pequeno atraso antes que as comunicações com a nave fossem estabelecidas. Mas o módulo enviou para a Terra uma série de imagens de seus painéis solares se expandindo, e autoridades afirmaram que a nave está funcionando bem. Comercial O plano da Bigelow Aerospace é construir um hotel espacial chamado Nautilus, que vai ligar uma série de módulos infláveis juntos. O módulo da Genesis II tem 4,5 metros. A bordo do módulo está uma coleção de fotos e itens de clientes que pagaram para ver seus objetos pessoais fotografados no espaço. A companhia também espera ativar um jogo de bingo no espaço, que será jogado por pessoas na Terra. No final de 2007, a Bigelow Aerospace planeja lançar outro módulo: o Galaxy. Robert Bigelow investiu cerca de US$ 500 milhões (cerca de R$ 968 milhões) em seu projeto, que tenta competir com o projeto do magnata britânico Richard Branson: o Virgin Galactic, que também pretende levar clientes para o espaço. Bigelow oferece um prêmio de US$ 50 milhões para a pessoa que conseguir projetar uma nave capaz de levar cinco pessoas a uma altura de 400 quilômetros antes de 2010. Apesar das iniciativas para tentar popularizar as viagens espaciais, o custo de uma viagem comercial precisaria diminuir, segundo especialistas.

Mais conteúdo sobre:
bigelow espacial genesis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.