1. Usuário
Geral
Assine o Estadão
assine


Empresas ligadas a Costa ficam em condomínios de luxo

TIAGO ROGERO E WILSON TOSTA - Estadão Conteúdo

25 Agosto 2014 | 19h 09

Duas das 13 empresas ligadas ao ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, que foram vasculhadas pela Polícia Federal na sexta-feira, 22, ficam em endereços residenciais. As sedes de todas as empresas, alvo da quinta fase da operação Lava Jato, ficam em prédios da Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio: seja em condomínios de escritórios ou residenciais, a maior parte de luxo. Nesta segunda-feira, 25, nenhuma delas estava aberta.

Registrada em nome da esposa de Costa, Marici, e de uma das filhas do casal, Arianna Azevedo Costa Bachmann, a Bachmann Representações Ltda tem seu endereço num condomínio domiciliar de alto poder aquisitivo. A empresa, segundo a Procuradoria da República, recebeu recursos da companhia Estaleiro Atlântico Sul S/A, "esta com contratos milionários com a Petrobras".

Na portaria do prédio que consta como sede da Bachmann nada se sabe da existência da empresa. "O apartamento está em nome de Sheryl e Jarred", disse o porteiro, ao consultar a relação com os nomes dos condôminos, sem revelar os sobrenomes. Os dois primeiros nomes, entretanto, não constam na composição societária da empresa. Não havia ninguém em casa quando a reportagem do jornal O Estado de S. Paulo foi ao endereço, às 13h desta segunda.

Situação semelhante acontece com a B&X Consultoria e Assessoria Comercial Ltda, que segundo a Procuradoria recebeu recursos do Consórcio Confidere Racional, que tem "contratos com a Petrobras". O endereço da empresa fica também num condomínio de apartamentos na Barra, onde segundo funcionários mora um casal, "Fernando e Cristina" - ambos também não listados nas composições societárias das demais empresas que foram vasculhadas pela Polícia Federal na Sexta-feira.

O endereço da BAS Consultoria Empresarial é ainda mais enigmático: a cobertura de um prédio comercial de dois andares na Avenida Ministro Ivan Lins, onde funcionam somente duas empresas: uma agência de publicidade e uma imobiliária. Em ambas, funcionários disseram desconhecer a BAS, cujos proprietários são Bruno Cesar Schmitt da Silva e Antonio Severino da Silva. Trabalhadores do prédio também negaram saber da existência da empresa. "Estou aqui há cinco anos e nunca ouvi falar", disse o porteiro.

Dos 13 endereços vasculhados na sexta, oito ficam no mesmo lugar: três salas no mesmo bloco do shopping Downtown, na Barra da Tijuca, que conta também com escritórios. As salas, que constam como sede das oito empresas, estavam hoje trancadas às 11h41. Os nomes não aparecem na relação que fica na recepção do prédio, mas, na porta da principal sala, há o logotipo do "Grupo Pragmática", que tinha como principal sócio Marcelo Barboza Daniel, parceiro comercial de um dos genros de Costa, Humberto Mesquita, que também é sócio da Pragmática Consultoria em Gestão Empresarial Ltda.

A consultoria aberta por Costa após deixar a Petrobras, em 2012, Costa Global, fica no mesmo prédio que a Versalles Assessoria Empresarial, do genro Humberto, ambas num luxuoso condomínio de escritórios na Barra. Nesta segunda, segundo funcionários do prédio, ninguém havia aparecido para trabalhar às 12h20.