1. Usuário
Geral
Assine o Estadão
assine

Empresas plantam eucalipto em parceria

O Estado de S.Paulo

10 Fevereiro 2010 | 01h 23

Tenho sítio de 9,5 hectares em Louveira (SP) e gostaria de plantar eucalipto em 2,5 hectares, inicialmente. Se der certo, aumento gradativamente. O terreno tem alta declividade. É verdade que empresas de papel e aglomerado de madeira (Duratex em Campo Limpo ou International Paper em Mogi-Guaçu) cedem mudas e que o primeiro corte é delas?

Roberto Berkes

robertoberkes@terra.com.br

Para o plantio de eucalipto em parceria, as empresas têm modalidades de fomento de extensão e contratuais, dependendo do interesse, da localização e do tamanho da propriedade, informa o diretor-superintendente da Sociedade Brasileira de Silvicultura (SBS), Rubens Garlipp. "No fomento de extensão, normalmente as empresas têm a preferência pela compra da madeira na época do corte. Na modalidade contratual, a empresa já estabelece as condições de compra futura a preço de mercado, incluindo a devolução em madeira equivalente às despesas com mudas", explica Garlipp. Segundo ele, cada empresa atua de um modo e é necessário consultar seus respectivos departamentos de fomento de cada empresa. A International Paper obtém matéria-prima, além de áreas florestais próprias, por meio de fomentos florestais e parcerias. Na modalidade de fomento florestal, são 9.500 hectares, em São Paulo e Minas Gerais. A companhia fornece mudas, assistência técnica, inventário da floresta, análise de solo, mapa da plantação e recomendação da adubação para produtores locais. Depois, a madeira é vendida para a empresa por preço de mercado. Nas parcerias, a empresa responsabiliza-se por gastos com instalação e manutenção das florestas renováveis. Mais tarde, esses valores são convertidos em madeira para a companhia. Mais informações, tel. 0800 70 300 70. Para saber como funciona o programa de fomento florestal da Duratex, a empresa pede que o leitor envie um e-mail para florestal.agudos@duratex.com.br. SBS, tel. (0--11) 3719-1771.

Fungo provoca doença em limoeiro

Possuo um pé de limão rosa e tenho notado que as folhas da árvore têm apresentado manchas que parecem ferrugem. Podem me dizer o que é e como se combate essa doença?

Tufi Mussa

tufi.mussa@globo.com

"Pela descrição, a doença que está afetando o limoeiro rosa é a chamada verrugose, causada pelo fungo Elsinoe fawcetti. Geralmente, ela ataca também os frutos, causando manchas semelhantes às presentes nas folhas", explica o engenheiro agrônomo do Centro de Citricultura do Instituto Agronômico (IAC-Apta), Jorgino Pompeu Júnior. Segundo ele, o combate à doença é feito com pulverizações de fungicidas, realizadas logo após a queda das flores e repetidas por mais duas vezes, com intervalo de 30 dias. "A doença não afeta significativamente a produção e a qualidade dos frutos. Por esse motivo e como o uso de defensivos agrícolas requer muito cuidado na aplicação e no respeito à carência dos produtos, recomendamos que não pulverize as plantas, exceto se os frutos se destinarem ao comércio. Se este for o caso, é melhor consultar um técnico antes", alerta o pesquisador. Centro de Citricultura do IAC, tel. (0--19) 3546-1399.

Como reconstruir ninho para tucano

Durante alguns anos um casal de tucanos utilizava sempre o mesmo ninho: um buraco em um tronco de árvore bastante grande ao lado de minha oficina. Este ano, por causa de um vendaval, o galho onde se encontrava o ninho despedaçou-se. O casal de tucanos e um dos filhotes se salvaram. Como fazer para que o casal de tucanos construa novamente o ninho no mesmo local, já que o buraco no tronco permanece?

Hans Dieter Grandberg

Monte Verde (MG)

De acordo com o ornitólogo Johan Dalgas Frisch, se a árvore perdeu apenas um galho no vendaval, mas continua no local (assim como o buraco no tronco), é bem provável que o casal de tucanos volte. "Já presenciei um caso semelhante certa vez em Mato Grosso. Mas lá o fato ocorreu com araras azuis", afirma o especialista. Se o leitor desejar e puder, explica Frisch, pode também tentar instalar no local uma casinha feita de madeira. A casinha deve ter tamanho suficiente para permitir a entrada dos tucanos e a construção de um novo ninho. "Certamente, o casal de tucanos aceitará a nova instalação para fazer um novo ninho", garante o ornitólogo. Mais informações com Johan Dalgas Frisch, tel. (0--11) 3814-8000.

Embrapa ensina a fazer muda de coco

Tenho três pés de coqueiro-anão na Praia Grande (SP). Gostaria de saber como posso produzir mudas.

José da Silva

Osasco (SP)

Segundo o pesquisador da Embrapa Tabuleiros Costeiros, Humberto Fontes, as mudas do coqueiro-anão são feitas a partir do próprio fruto, que precisa, impreterivelmente, estar seco. "Por isso não se deve colher o fruto antes de ele completar pelo menos 12 meses. Antes disso o fruto está verde e não irá germinar." Após colher o coco seco deve-se colocá-lo para germinar em valas, germinadoras ou canteiros. Ele explica que o processo consiste apenas em enterrar dois terços do fruto na terra, deixando o restante para fora. "Mas é preciso ficar atento para a posição na qual o fruto é plantado. Aqueles círculos que parecem olhos devem ficar voltados para cima ou para os lados, nunca para baixo". Os germinadouros devem ser abertos com largura de aproximadamente 1,2 metro de profundidade. O comprimento varia em função do número de mudas que se quer produzir. Deve-se observar no entanto a densidade de até 15 mudas por metro quadrado. O especialista ainda destaca que todo o viveiro deve ser mantido livre de ervas daninhas, principalmente gramíneas, por serem consideradas plantas hospedeiras de insetos vetores de doenças, como a podridão seca do olho do coqueiro. "A limpeza da área deve ser realizada regularmente, inclusive na área externa, abrangendo uma faixa mínima de 10 metros." Para mais detalhes, Fontes recomenda a leitura da publicação Sistemas de produção para o cultivo de coqueiros, um manual completo, disponível em www.cpatc.embrapa.br/download/SP1.pdf. E-mail: humberto@cpatc.embrapa.br.

Leitora procura maçã verde em miniatura

Assim como tem a maçãzinha vermelha (minimaçã), gostaria muito de encontrar a maçã verde também daquele tamanho, pois a que normalmente encontramos para comprar é grande demais.

Carmen Valim

csmvalim@yahoo.com.br

O produtor Cyro Abumussi, da Fazenda Ituaú, em Salto (SP), diz que desconhece maçã verde em miniatura. Abumussi produz cerca de 40 itens na versão mini, entre pimentões, tomate, cenoura, abóbora, beterraba, pepino, milho, berinjela, melão e melancia. "A maçãzinha vermelha não é mini, é apenas menor. Para isso, é classificada e selecionada para ter esse tamanho", explica, acrescentando que conversou com outros produtores e ninguém soube informar sobre onde achar minimaçã verde. Fazenda Ituaú, tel. (0--11) 4027-9045.

  • Tags:

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo