Equador decide continuar pagando dívida com países, por enquanto

O Equador não descarta interromper o pagamento da dívida que possui com organizações multilaterais e outros países, mas continuará cumprindo essas obrigações por enquanto, disse na sexta-feira o ministro da Política, Ricardo Patiño. "Esta é uma decisão a ser tomada" no futuro, disse Patiño à Reuters depois de reuniões nas Nações Unidas. "Neste momento, nós decidimos lidar com a questão da dívida com credores privados internacionais", acrescentou, sublinhando que uma recente auditoria interna encontrou "irregularidades" nas dívidas contraídas junto a organismos multilaterais. O presidente do Equador, Rafael Correa, declarou nesta sexta-feira moratória da dívida externa equatoriana após decisão de não pagar o cupom de 30,6 milhões de dólares do seu bônus global 2012, que venceria na segunda-feira. Os bônus Global equatorianos somam um total de 3,8 bilhões de dólares. O Equador tem uma dívida multilateral de 4,3 bilhões de dólares e dívidas bilaterais estimadas em 1,5 bilhões de dólares com países que vão do Clube de Paris, que integra 19 nações desenvolvidas e credoras, ao Brasil e à Itália. Recentemente, o Brasil convocou seu embaixador depois da decisão do governo de Rafael Correa de pedir uma arbitragem para suspender o pagamento de um empréstimo do BNDES, concedido em 2000 para a construção de uma hidrelétrica. O Equador afirma que houve ilegalidades na contratação do empréstimo.

WALTER BRANDIMARTE, REUTERS

12 Dezembro 2008 | 21h36

Mais conteúdo sobre:
EQUADOR DIVIDA PAGA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.