Ericsson pagará US$1,2 bi para reduzir exposição na ST-Ericsson

A Ericsson pagará 1,2 bilhão de dólares em uma tentativa de eliminar sua exposição à ST-Ericsson, adicionando dúvidas sobre o futuro da deficitária joint venture depois que a sócia STMicroelectronics disse que está saindo do negócio.

Reuters

20 Dezembro 2012 | 15h40

A Ericsson, maior fabricante de equipamentos para redes de telefonia celular do mundo, disse nesta quinta-feira que terá um impacto de 8 bilhões de coroas suecas no seu quarto trimestre fiscal, em um movimento que deverá levar a empresa a registrar um prejuízo líquida para o período.

O grupo sueco disse que não compraria a fatia de 50 por cento da STMicro na joint venture de fabricação de chips, confirmando suas indicações prévias e deixando o futuro dos 5 mil funcionários da joint venture incerto.

Analistas consideram que o negócio de modem wireless da ST-Ericsson poderia ser atrativo para um concorrente como a Samsung e que a Ericsson poderia reter seu negócio de soluções para gerenciamento de energia. Mas o restante das operações da joint venture deve ser fechado.

A Ericsson tem enfrentado dificuldades recentemente com a desaceleração das vendas na sua unidade principal diante da competição e de uma economia global vacilante. Em outubro, a empresa reportou queda de 42 por cento nos lucros do terceiro trimestre.

"A Ericsson continuará a explorar várias estratégias para o futuro dos ativos da ST-Ericsson", disse a companhia baseada em Estocolmo, que não quis detalhar o comentário.

"Mas adquirir (fatia) majoritária na ST-Ericsson não é uma opção".

O valor pago estava principalmente relacionado à eliminação de empréstimos à joint venture, assim como financiamento do negócio enquanto o seu futuro é decidido, disse a Ericsson.

(Reportagem de Simon Johnson e Olof Swahnberg)

Mais conteúdo sobre:
TECH ERICSSON ST*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.