Escolas 'verdes' do Texas são pouco eficientes

Uma pesquisa encomendada pelo maior sistema de ensino público do Estado do Texas e o sétimo maior dos Estados Unidos revelou que novas edificações feitas desde 2007 para tornar as escolas ecologicamente corretas não estão gerando uma significativa economia de energia.

KANSAS CITY, O Estado de S.Paulo

12 Dezembro 2012 | 02h06

Naquele ano, o Houston Independent School District (HSID) construiu duas novas escolas que atendiam às especificações da Leadership in Energy and Environmental Design (Leed), um conjunto de diretrizes para a construção de prédios ambientalmente sustentáveis formulado na década de 1990 pela ONG U.S. Green Building Council.

Entre as novas características dos prédios estão sensores de luz automáticos e teto que reflete o calor solar. Mas a pesquisa revelou que uma dessas escolas ficou em 205.º lugar entre as 239 unidades da cidade de Houston e a outra, em 155.º, num ranking que mediu o custo de energia por aluno. Uma terceira escola "verde", construída em 2010, ficou em 46.º.

Segundo Gavin Dillingham, gerente de energia do HSID, a culpa é da falta de manutenção dos equipamentos. "As pessoas têm a impressão errônea de que, assim que os prédios ganham a certificação Leed, eles sempre serão eficientes energeticamente", afirmou.

O caso de Houston gera dúvidas sobre a necessidade de investir na construção de escolas verdes. Obras desse tipo são feitas em 16 Estados do país. E outros 9 Estados consideram adotar medidas semelhantes. Em cidades como Los Angeles e Nova York, já é obrigatório cumprir padrões similares. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.