Espaço do leitor

Produtor tem mudas de mandioquinha Onde posso adquirir mudas de mandioquinha para comprar? Gostaria também de saber como cultivá-la em escala artesanal. José Miranda Indaiatuba (SP) De acordo com a pesquisadora Silvana Catarina Sales Bueno, do Núcleo de Produção de Mudas de São Bento do Sapucaí (SP), da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati), o plantio da mandioquinha-salsa em Indaiatuba deve ser feito no outono/inverno. "Está um pouco tarde agora, mas se o cultivo for feito em um local com boa drenagem, pode-se arriscar, pois a colheita ocorrerá na época de maior pluviosidade", afirma. Quanto ao solo, deve ser corrigido e adubado, de acordo com a análise de solo. "Temos um vídeo que mostra todos os procedimentos para o plantio da mandioquinha, com indicações de espaçamento e práticas gerais de cultivo", diz Silvana. Para adquiri-lo o leitor pode entrar em contato com o Núcleo de Produção de Mudas São Bento do Sapucaí, tel. (0--12) 3971-1306. Segundo recomendações gerais do pesquisador Fausto Francisco dos Santos, da Embrapa Hortaliças, o preparo do solo inclui aração e gradagem, seguidas pelo plantio em leiras, em nível, para facilitar a colheita. Em relação à adubação, deve ser feita conforme análise do solo, sendo recomendado apenas o uso de fontes de fósforo, potássio, zinco e boro. "O plantio deve ser feito por mudas previamente enraizadas", explica Santos. "A cultura precisa ser irrigada na estiagem e mantida livre de plantas daninhas até a total cobertura do solo", observa. Para informações mais detalhadas, o pesquisador sugere que o leitor solicite na Embrapa a publicação Manejo cultural da mandioquinha-salsa (R$ 13), que tem dados sobre plantio, tratos culturais e manejo do tubérculo. Há também dois vídeos, de mesmo título, que custam R$ 20 cada. Embrapa, tel. (0--61) 3385-9110. Para obter mudas, o produtor José Antonio Bueno, de São Bento do Sapucaí (SP), vende a caixa com cerca de mil mudas por R$ 30. Tel. (0--35) 9137-1154. Cultivo de pistache é incipiente no País Gostaria de saber se a cultura do pistache é viável no Brasil, mais precisamente em uma área de 10 alqueires no nordeste do Paraná, onde no inverno as temperaturas ficam ao redor de 10 graus (chegando em alguns dias até perto de zero grau) e no verão ultrapassam facilmente 30 graus. Caso seja viável, onde conseguir mudas? Flávio Rivero Rodrigues Pindamonhangaba (SP) O pesquisador-científico Wilson Barbosa, do Instituto Agronômico (IAC), conta que no passado, o instituto fez introduções de pistache, mas as plantas não chegaram a produzir frutos em larga escala. "Isso provavelmente ocorreu porque o material era totalmente inadequado para nossas condições", explica. "Sabemos que hoje existem variedades menos exigentes em frio na Europa e no Oriente Médio, mas, mesmo assim, esses materiais precisam de pelo menos 500 horas anuais de frio (somatória de horas com temperaturas abaixo de 7 graus no local)", afirma o pesquisador. Segundo Barbosa, no Brasil não há produtores de mudas de pistache para fins de cultivo comercial e nem novas pesquisas de adaptação climática da espécie. Ele sugere ao leitor entrar em contato com o Quarentenário do IAC, caso queira introduzir variedades de pistache do exterior. "O Quarentenário possui toda a infra-estrutura para receber e cuidar das plantas até a liberação para o plantio no campo." O contato é: Quarentenário IAC, Caixa Postal 28, CEP 13012-970, Campinas (SP). Tel. (0--19) 3241-5188, ramal 330. Óleo de citronela combate pernilongos Como posso combater a praga de pernilongos, que nesta época do ano ainda atormenta? José Simioni São Paulo (SP) Sou alérgica a pernilongo e gostaria de saber se existe algum repelente biológico. Já tentei usar inseticida, mas não deu certo. Rosana Santos Diniz São Paulo (SP) O pesquisador-científico Wilson Barbosa, do Instituto Agronômico (IAC), conta que no passado, o instituto fez introduções de pistache, mas as plantas não chegaram a produzir frutos em larga escala. "Isso provavelmente ocorreu porque o material era totalmente inadequado para nossas condições", explica. "Sabemos que hoje existem variedades menos exigentes em frio na Europa e no Oriente Médio, mas, mesmo assim, esses materiais precisam de pelo menos 500 horas anuais de frio (somatória de horas com temperaturas abaixo de 7 graus no local)", afirma o pesquisador. Segundo Barbosa, no Brasil não há produtores de mudas de pistache para fins de cultivo comercial e nem novas pesquisas de adaptação climática da espécie. Ele sugere ao leitor entrar em contato com o Quarentenário do IAC, caso queira introduzir variedades de pistache do exterior. "O Quarentenário possui toda a infra-estrutura para receber e cuidar das plantas até a liberação para o plantio no campo." O contato é: Quarentenário IAC, Caixa Postal 28, CEP 13012-970, Campinas (SP). Tel. (0--19) 3241-5188, ramal 330. Esclarecimento sobre tratamento de mourões A propósito da reportagem Cerca segura para bovinos, publicada na edição de 20/6/2007, recebemos de Dulcidio Macedo (Montana Química) e Flávio Carlos Geraldo (Arch Química) alguns esclarecimentos: "Tecnologicamente, há produtos preservativos e técnicas industriais de tratamento da madeira seguros, eficazes, normalizados (a norma ABNT NBR 9480 refere-se especificamente a mourões), legais (Portaria Interministerial 292/89) e controlados pelo Ibama", diz Dulcidio. O preparo caseiro de mourões leva ao risco de atribuir a pessoas sem preparo técnico a manipulação de produtos químicos, potenciais contaminadores do solo e de lençóis freáticos, colocando em risco a saúde do trabalhador e do ambiente. O sulfato de cobre, de ação fungicida e algicida, é inócuo como inseticida. Um ataque de insetos colocaria na berlinda a vida útil de mourões bem antes do prazo de 15 anos. Flávio Geraldo também faz referência à legislação que deve ser observada na preservação de madeiras: "Sabemos que sob condições controladas, os métodos caseiros, como o caso descrito, apresentam bons resultados em termos de penetração e retenção dos ingredientes ativos nas camadas permeáveis da madeira. Na prática, contudo, os produtores rurais não têm observado os cuidados necessários quanto à segurança operacional e proteção ambiental. Não se observa a utilização de Equipamentos de Proteção Individual e cuidados no descarte de sobras de soluções químicas ou de embalagens contaminadas". O representante da Arch Química informa que a preservação industrial de madeiras em usinas de preservação está presente em todo o território nacional, com produtos de acordo com a legislação, a custos acessíveis. Leitor quer bandejas para mudas de café Poderiam me informar onde posso comprar bandejas para tubetes de mudas de café? Estou procurando faz tempo, mas não acho em nenhum lugar. Luiz Paulo Franco Guarulhos (SP) O leitor pode entrar em contato com a empresa Star Pack, de Poços de Caldas (MG), que fabrica dois modelos de bandejas para mudas de café aprovados pela Fundação de Apoio Tecnológico à Cafeicultura (Fundação Procafé), de Varginha (MG). A bandeja que comporta 72 mudas (indicada também para mudas de eucalipto) suporta 50 mililitros de substrato por célula e custa R$ 1,80. O outro modelo, com capacidade para 50 mudas e 90 mililitros de substrato por célula, sai por R$ 2,40. A empresa recebe encomendas de outros Estados, com custos de frete a combinar. Star Pack, tel. (0--35) 3722-5011 ou e-mail: s.pack@uol.com.br.

O Estado de S.Paulo

18 Julho 2007 | 05h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.