EUA impõem restrições à joint venture entre Nokia e Siemens

Os Estados Unidos impuseram restrições à joint venture de telecomunicações e redes planejadas entre a alemã Siemens e a finlandesa Nokia, informou o Financial Times nesta segunda-feira, dia 8. Segundo o jornal, o comitê de investimentos estrangeiros nos EUA (CFIUS, na sigla em inglês) conduziu uma revisão da proposta de joint venture. A transação deve criar um dos maiores grupos do setor, com vendas de cerca de US$ 23 bilhões. Mencionando pessoas familiarizadas com a revisão, o jornal informou que a Nokia e a Siemens haviam sido forçadas a assinar um chamado "acordo de atenuação", que disporia se e como estrangeiros poderão trabalhar com equipamento e software norte-americanos. Os acordos de atenuação impõem determinadas condições com as quais as empresas precisam concordar para obter aprovação das autoridades regulatórias. O FT disse que qualquer transação envolvendo a canadense Nortel Networks, que conduz trabalho sensível para o governo dos EUA, receberia atenção especial e enfrentaria investigação prolongada. A Siemens encaminhou quaisquer questões quanto ao relatório à Nokia Networks. Uma porta-voz da Nokia disse que a "Nokia considera as discussões com autoridades governamentais sobre relatórios da CFIUS como confidenciais e, portanto, não pode comentar sobre discussões ou acordos com autoridades governamentais". A gigante de celulares Nokia e o conglomerado industrial alemão Siemens decidiram em junho que fundiriam as partes principais de suas divisões de equipamento para redes de telecomunicações. A nova empresa deveria ter começado a operar na virada do ano, mas Nokia e Siemens anunciaram no mês passado que uma investigação sobre corrupção que envolve a Siemens adiaria o início das operações conjuntas por algumas semanas.

Agencia Estado,

08 Janeiro 2007 | 12h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.