Feita em casa é mais gostosa

Você pode fazer uma barra de cereais que seja realmente saudável, sem corantes ou qualquer outro aditivo

Mark Bittman,

18 Novembro 2010 | 10h18

 

 

 

A granola é daqueles alimentos considerados bons para a saúde e a lógica sugere que o mesmo se aplique às barras de cereais. Mas, infelizmente, isso não é verdadeiro: quem já parou para analisar a embalagem de uma barra de cereais sabe que ela pode conter ingredientes que vão de xarope e farinha de milho até chocolate e corantes. Não contém nada que vá deixar as pessoas doentes (ao menos não imediatamente), mas a questão é que essas barras não podem ser tomadas como comida saudável.

Porém você pode fazer em casa uma barra de cereais que seja realmente saudável, sem corantes ou qualquer outro aditivo. Apresento aqui minha receita preferida, uma combinação de granola, amêndoa, damasco e arroz integral crocante.

Como a própria granola, essa barra está totalmente aberta a interpretações desde que você respeite apenas a proporção entre a cola (a mistura de mel e pasta de amêndoas) e a granola combinada aos demais ingredientes. Ou seja, entre a pasta e os cereais.

O "segredo" desta receita está na mistura de pasta de amêndoa (pode ser substituída por outra pasta parecida, como amendoim ou noz, conforme sua preferência) e mel (que também pode ser trocado por xarope de bordo ou néctar de agave). Você junta a granola e os demais ingredientes a essa mistura, que deve simplesmente ser compactada numa travessa.

Deixe a mistura repousar na geladeira por um período de uma hora, aproximadamente: isso vai deixá-la mais firme e mais fácil de ser cortada no formato desejado.

As barras caseiras são menos crocantes que as vendidas no supermercado - que costumam ser excessivamente secas - , além de muito mais saborosas. E, como menos é mais, sem os ingredientes dos quais você não precisa as barras caseiras são certamente mais saudáveis que suas equivalentes industrializadas. Eis um produto que vale mais apenas fazer em casa do que comprar pronto.

 

 

Veja também:

linkEle é a cara das delis de NY

linkJornalista em busca do pastrami perfeito

linkSem um pastrami para chamar de seu

Leia mais:

linkUm olhar na direção da cozinha de Alice Waters

linkO vinho vira cultura no séc. 21

linkDiga-me o que bebes e te situarei na sociedade

linkNome que faz tremer

linkQuem gosta de vinhos velhos?

linkCésar Pisano: morre um dos inventores da Tannat uruguaia

linkNorth Grill, em versão chique

linkNorma, molho com nome de ópera

blog Blog do Paladar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.