Ganhador de loteria volta a trabalhar no McDonald's

Luke Pittard afirma que estava entediado e sentia falta de colegas de trabalho.

Da BBC Brasil, BBC

24 Março 2008 | 19h30

O ganhador de 1,3 milhão de libras (cerca de R$ 4,4 milhões) em um dos sorteios da Loteria Nacional britânica voltou a trabalhar em uma lanchonete da rede McDonald's alegando sentir falta dos amigos. "São tantos rostos familiares que foi como voltar para um grupo de velhos amigos", disse Luke Pittard, de 25 anos."Honestamente, existe um limite para o descanso. Sou jovem e um pouco de trabalho duro nunca fez mal a ninguém." Pittard ganha 5,85 libras por hora (cerca de R$ 20) em um restaurante da rede de fast-food em Cardiff, no País de Gales. Ele acorda de madrugada cinco dias por semana para iniciar o turno da manhã na lanchonete. Segundo o ganhador da loteria, seus colegas o consideram "um pouco louco", mas sua chefe afirmou que é "como se ele nunca tivesse se afastado". Festa de casamento Pittard e sua noiva na época, Emma Cox, de 29 anos, trabalhavam na lanchonete quando acertaram os números da Loteria Nacional britânica em julho de 2006. O casal parou de trabalhar e comprou uma casa de 230 mil libras (cerca de R$ 795 mil), onde mora com a filha de três anos, Chloe. Eles também fizeram uma luxuosa cerimônia de casamento e viajaram até as Ilhas Canárias. Mas 21 meses depois, Pittard conseguiu seu emprego de volta como responsável pelo treinamento dos funcionários. "Muitos dos meus antigos colegas do McDonald's foram ao nosso casamento, mantivemos contato, então pensei: 'Por que não voltar?'." "Eu compreendo totalmente", disse Emma, agora esposa de Pittard. "Nós realmente gostávamos de trabalhar no McDonald's e ainda temos bons amigos lá." "Luke é um ótimo integrante de nossa equipe e, quando ele ganhou na loteria, ficamos felizes por ele", afirmou a gerente do McDonald's, Katherine Jones. "Fico feliz que ele tenha tido tempo de aproveitar, mas adoramos tê-lo de volta." BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.