Governo cria empresa pública para a fabricação de chips

Lei determina que o Ceitec, no RS, se transforme em empresa vinculada ao Ministério de Ciência e Tecnologia

Agência Brasil,

01 Agosto 2008 | 14h18

O Brasil tem uma empresa pública especializada na fabricação de circuitos integrados a partir desta sexta-feira, 1º. A Lei n.º 11.759, que transforma o Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada (Ceitec) numa empresa pública, está publicada no Diário Oficial da União.   O Ceitec já existe em Porto Alegre (RS). Segundo informações do site do centro, o projeto nasceu em 2000, a partir de um protocolo de intenções firmado entre os governos federal, estadual e municipal, instituições de ensino e pesquisa e entidades empresariais. Com a lei, o Ceitec se transforma numa empresa pública vinculada ao Ministério de Ciência e Tecnologia.   Segundo o texto publicado nesta sexta, "o Ceitec terá por função social o desenvolvimento de soluções científicas e tecnológicas que contribuam para o progresso e o bem-estar da sociedade brasileira. O centro terá por finalidade explorar diretamente atividade econômica no âmbito das tecnologias de semicondutores, microeletrônica e áreas correlatas".   O uso desses componentes, de acordo com o Ministério de Ciência e Tecnologia, permite a fabricação do circuito de um telefone celular ou de um relógio eletrônico de tamanho reduzido. Esses chips podem ser usados em pequenos computadores portáveis, como laptops ou notebooks.   O primeiro circuito integrado desenvolvido no país deverá sair já no final do próximo ano das instalações da Ceitec. A indústria nacional só fabrica no momento semicondutores simples, como diodos retificadores, de acordo com informações do Ministério de Ciência e Tecnologia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.