Hackers já iniciam ataques ao Windows Vista

Os hackers já estão em ação para encontrar pontos vulneráveis no novo sistema operacional Windows Vista, chamado pela Microsoft como a versão mais segura já criada do programa. A nova versão do Windows, sistema que aciona 95 por cento dos computadores do mundo, está disponível para os consumidores desde a terça-feira, depois de cinco de anos de desenvolvimento e de diversos adiamentos, causados por intenção da companhia de reforçar a segurança do software. Um produto importante como o Windows Vista atrai interesse de todo o espectro do setor de segurança na computação, de crackers que buscam falhas que possam ser aproveitadas para fins criminais a hackers que desejam criar reputação como especialistas em segurança. "As pessoas com certeza já estão trabalhando no Vista", disse Jeff Moss, organizador da Defcon, a maior convenção mundial de hackers. "Se você é mal intencionado e descobre uma falha, é um caminho para distribuir malware e spyware." A maioria dos especialistas em segurança considera o Vista um sistema operacional mais seguro do que seu predecessor, o Windows XP, mas até mesmo a Microsoft reconhece que ele não é impenetrável, e que invasores certamente procurarão um ponto fraco para atacar. Crackers podem usar spyware para monitorar um computador a distância e recolher informações sobre o usuário. Também podem controlar máquinas remotamente a fim de atacar sites, enviar spam ou fraudar anunciantes online. Proteção O Vista vem equipado com software de combate a spyware, e novos controles de contas podem restringir a capacidade do usuário para instalar involuntariamente programas capazes de causar danos. As versões mais caras oferecem um recurso chamado BitLocker, que codifica o disco rígido de uma máquina, em caso de perda ou roubo. "Sabemos desde o começo que o software não será 100% seguro. Isso é impossível no setor de software... mas o Windows Vista conta com múltiplas camadas de defesa", disse Stephen Toulouse, gerente sênior de produto no grupo de computação confiável da Microsoft. O Windows Vista tem mais de 50 milhões de linhas de código e a Microsoft investiu US$ 6 bilhões para desenvolver seu primeiro sistema operacional desde o lançamento do Windows XP em outubro de 2001. A capacidade da Microsoft de proteger o Windows de invasores é considerada como teste crucial de um produto que gerou mais de US$ 10 bilhões em vendas no ano passado, especialmente em se tratando de grandes clientes institucionais que precisam ter cuidado redobrado com suas informações e dados. Johannes Ullrich, especialista em cibersegurança do grupo de pesquisa SANS Institute, acredita que hackers estejam trabalhando sem parar na tentativa de ganharem reconhecimento que será depositado no primeiro a encontrar e divulgar uma brecha de segurança no Vista. Ele também alertou que crackers poderão ainda serem capazes de lançar ataques se aproveitando de vulnerabilidades do Internet Explorer e do Office e ponderou que os invasores podem conter suas estratégias até que mais pessoas passem a usar o novo sistema operacional. "Ser o primeiro a criar um meio que explore uma brecha do Vista é algo que muitas pessoas desejam", disse Ullrich. "E, no final, qualquer furo de segurança poderá ser explorado com objetivo de ganho financeiro."

Agencia Estado,

31 Janeiro 2007 | 11h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.