Hasina obtém vitória esmagadora em eleição em Bangladesh

A aliança liderada pela ex-primeira-ministra de Bangladesh xeique Hasina obteve ampla maioria parlamentar na primeira eleição do país em sete anos, disseram autoridades na terça-feira. Um partido rival, no entanto, reclamou de irregularidades no pleito. Analistas afirmaram que não está claro se os derrotados aceitarão o resultado ou convocarão seus aliados para manifestações de rua, apesar dos comentários feitos por monitores independentes de que a eleição pareceu justa e digna de crédito. Confrontos políticos, greves e violência urbana têm dificultado com frequência a efetividade dos governos bengaleses. A eleição de segunda-feira marcou o retorno do país à democracia após dois anos de estado de emergência imposto por uma administração provisória apoiada pelo Exército. "É essencial que ambos os lados aceitem o resultado... Se não, Bangladesh corre o risco de voltar para a anarquia, violência e corrupção que caracterizaram o seu passado", disse Sheridan Prasso, da Asian Society Fellow, com base nos Estados Unidos. A "Grande Aliança", liderada pela Liga Awami, de Hasina, obteve até agora 263 assentos no parlamento de 300 lugares, informaram autoridades. A Liga Awami, de Hasina, obteve sozinha 229 assentos, em sua maior vitória desde que o antigo Paquistão Ocidental obteve a independência em 1971. Com somente 31 assentos conquistados pelo grupo liderado por Begum Khaleda Zia, outra ex-primeira-ministra, essa foi a pior demonstração jamais vista para ela e seu partido. As rivais populistas Hasina e Khaleda alternaram o poder durante 15 anos até 2006 em Bangladesh.

SERAJUL ISLAM QUADIR E JERRY NORTON, REUTERS

30 Dezembro 2008 | 10h46

Mais conteúdo sobre:
BANGLADESH ELEICAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.