1. Usuário
Geral
Assine o Estadão
assine

Homicídios decorrentes de intervenção policial sobem 58% no Rio

FELIPE WERNECK - O Estado de S. Paulo

22 Agosto 2014 | 20h 13

Número oficial apresentava queda nos últimos cinco anos, desde o início do projeto das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs)

RIO - Dados oficiais do Instituto de Segurança Pública (ISP) do Rio divulgados nesta sexta-feira mostram que houve aumento de 58,3% dos homicídios decorrentes de intervenção policial e de 42,4% dos chamados roubos de rua no Estado em julho deste ano, na comparação com o mesmo período de 2013.

A categoria roubos de rua reúne assaltos a pedestres, em ônibus e roubos de telefones celulares. Foram 8.483 casos registrados em julho de 2014, contra 5.957 ocorrências em julho do ano passado. Em relação às mortes violentas, o aumento foi de 27,4%. Em julho deste ano, 446 pessoas foram mortas no Estado, ante 350 em julho de 2013. Os homicídios dolosos aumentaram 22,8%, de 302 casos para 371. Já os chamados autos de resistência, mortes em alegados confrontos com policiais, subiram 58,3%. De 36 casos em julho do ano passado para 57 em julho deste ano.

O número oficial de homicídios decorrentes de intervenção policial estava em queda nos últimos cinco anos, desde o início do projeto das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), mas voltou a subir no primeiro semestre de 2014. Foram 285 casos até junho, alta de 42,5%.

Procurado pela reportagem, o secretário estadual de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, não comentou os números. Em nota sobre o aumento dos índices de criminalidade, o comando da PM informou que "segue acreditando na eficácia das estratégias implementadas". "O número de homicídios dolosos em julho, apesar de ser maior do que o do mesmo mês de 2013, foi o menor do ano e mostra tendência de queda. O item roubo a residência também teve o menor número do ano, com redução de 33,3% em relação ao mesmo período do ano anterior", diz a PM.

Sem mencionar os autos de resistência, a corporação destacou que "as prisões de criminosos e a apreensão de armas e drogas continuam registrando crescimento". "Em julho de 2014, o número de prisões foi 10,6% maior do que em julho de 2013 e o número de cumprimento de mandados de prisão foi 21,7% maior." As prisões aumentaram de 2.393 casos em julho de 2013 para 2.645 em julho deste ano.

Diferentemente dos meses anteriores, não foi divulgado pelo ISP desta vez o tradicional resumo do boletim com uma análise das estatísticas criminais. Um aviso no site do ISP informava que até o dia 26 de outubro as publicações do Portal da Imprensa e das redes sociais do governo do Estado serão "editadas de acordo com as restrições determinadas pela legislação eleitoral". A resolução que determinou a medida é assinada pelo secretário estadual da Casa Civil, Leonardo Espíndola.