Indústria reduz ritmo do consumo de energia em novembro

O consumo de energia no Brasil sentiu a desaceleração da indústria em novembro e com isso a alta acumulada no ano caiu de 4,7 para 4,4 por cento a mais do que em 2007, segundo dados da Empresa de Pesquisa Energética. Em novembro, o consumo atingiu 33.766 gigawatts, 3,1 por cento a mais do que há um ano. "A desaceleração do ritmo do crescimento do consumo industrial está relacionada ao fato de que importantes segmentos, como siderurgia, mineração e automobilístico (e correlatos), reduziram sua produção", explicou a EPE em relatório nesta segunda-feira. O consumo residencial subiu 5,7 por cento, mantendo o nível médio do ano, enquanto o consumo comercial registrou a maior taxa de crescimento no ano, de 7,8 por cento. "Este segmento ainda não reflete efeitos da crise financeira. O ritmo de expansão é notável em todas as regiões do país", ressaltou a EPE. Para o ano, a EPE prevê que o consumo suba 4 por cento em relação a 2007, sendo sustentada pelos setores comerciais e residenciais. Para a indústria a previsão da EPE é de uma taxa de expansão de 3 por cento. Para 2009 a expectativa é de crescimento de 4,6 por cento do consumo total em relação a 2008. (Por Denise Luna)

REUTERS

22 Dezembro 2008 | 19h22

Mais conteúdo sobre:
ENERGIA EPE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.