Jatos sírios atacam rebeldes; internet fica fora do ar pelo terceiro dia

Grupos de direitos humanos alertaram que a queda nas comunicações antecede uma ofensiva maior de forças do governo na capital

Oliver Holmes, Reuters

01 Dezembro 2012 | 12h43

Aviões sírios bombardearam regiões de Damasco controladas por rebeldes neste sábado, 1, disseram moradores. Um apagão nacional na internet entrou em seu terceiro dia.

Rebeldes sírios que estão lutando para derrubar o presidente Bashar al-Assad entraram em confronto com tropas do governo nas regiões mais povoadas do país, segundo ativistas da oposição. Pelo menos 40 mil pessoas morreram durante a revolta, que já dura 20 meses, dizem eles.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos, um instituto ligado à oposição, disse que aviões de guerra estavam bombardeando os subúrbios de Damasco, Kafar Souseh e Darraya.

"As forças sírias estão tentando controlar as regiões ao redor da capital e entraram em confronto com os rebeldes", disse o observatório.

Os rebeldes, em sua maioria muçulmanos sunitas que estão combatendo Assad, que faz parte da minoria síria alauíta, ligada ao islamismo xiita, têm feito conquistas em toda a Síria, invadindo bases militares e aumentando os ataques a Damasco, sua sede de poder.

Desde quinta-feira houve relatos de confrontos perto de Aqraba e Babila, distritos no sudeste de Damasco que levam ao aeroporto internacional, efetivamente fechando a estrada e fazendo com que a EgyptAir e a Emirates suspendessem seus voos.

A TV estatal síria citou uma declaração do Ministério da Informação dizendo que o aeroporto internacional de Damasco estava aberto neste sábado e que a estrada que leva a ele estava segura. Ativistas da oposição disseram que os confrontos continuavam.

Especialistas em redes de tecnologia acusam o governo de cortar a internet, mas Damasco culpa os "terroristas", um termo que ele usa para se referir à oposição.

Grupos de direitos humanos alertaram que a queda nas comunicações antecede uma maior ofensiva de forças do governo na capital. Forças de segurança da Síria e diplomatas dizem que o governo pretende bloquear o centro de Damasco dos subúrbios agitados.

Mais conteúdo sobre:
Síria REBELDES INTERNET*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.