1. Usuário
Geral
Assine o Estadão
assine

Jornalista argentina morre em acidente na BR-381

MARCELO PORTELA - Agência Estado

02 Julho 2014 | 13h 49

A jornalista argentina Maria Soledad Fernández, de 26 anos, que estava no Brasil acompanhando a atuação da seleção de seu País na Copa do Mundo, morreu na madrugada desta quarta-feira, 2, em um acidente na BR-381, que liga São Paulo a Belo Horizonte. O carro em que ela estava capotou e caiu em uma ribanceira próximo a Oliveira, na região centro-oeste de Minas.

Além da morte de Maria Soledad, o acidente deixou feridos o motorista Fernando Javier Bruno, de 41, e Juan Daniel Berazagueti, de 43. O trio voltava de São Paulo, onde a Argentina conquistou vaga para as quartas de final da Copa ao derrotar a Suíça por 1 a 0 no Itaquerão, para a capital mineira. A seleção do país vizinho está baseada no Centro de Treinamento do Atlético-MG, em Vespasiano, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o Doblô alugado placa OXH-5594 em que eles estavam saiu da pista na altura do quilômetro 619 e caiu na ribanceira de cerca de seis metros. Bruno e Berazagueti foram levados para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Oliveira e, em seguida, transferidos para o Hospital Regional de Betim, também na região metropolitana da capital, onde estão internados sem risco de morte.

Testemunhas contaram à Polícia Rodoviária Federal (PRF) que um Golf teria batido na traseira do Doblô. O Golf foi encontrado em um posto de gasolina próximo ao local do acidente. Dois homens de São Paulo que estavam no veículo e alegaram que haviam batido em um caminhão, mas uma perícia no Golf encontrou indícios de que ele realmente teria se envolvido no acidente com o carro onde estava a jornalista. A dupla foi encaminhada à delegacia de Oliveira para prestar depoimento e liberada em seguida.

O consulado da Argentina em Belo Horizonte acompanha o caso e informou que está prestando assistência às famílias das vítimas e um integrante da representação diplomática seguiu para Oliveira para providenciar a liberação do corpo de Maria Soledad. Ela era filha do também jornalista Tití Fernández, que, assim como Maria Soledad, está no Brasil fazendo a cobertura da Copa do Mundo.