Jujubas para simular vinhos são coisa séria

ENTREVISTA

O Estado de S.Paulo

11 Novembro 2010 | 00h39

John Thomas

Editor da Wine X Magazine

Os especialistas em vinhos da revista Wine X Magazine conhecem as principais notas que compõem o aroma e o sabor da bebida. Então, pensaram: por que não destacar o morango, as notas florais, o picante e criar balas e uma tabela para "construir" um vinho com o retrogosto inconfundível de açúcar? Da Califórnia, John Thomas, um dos responsáveis pelo Jelly Bean Wine Bar, falou com o Paladar.

Como chegar a sabores de balas que se parecem tanto com os sabores originais? Tiveram a ajuda de um químico?

Temos experiência em degustar vinhos ao redor do mundo. As receitas vêm dos sabores originais, encontrados nas castas de uvas - por exemplo, maçã, limão e pêssego do Chardonnay. Levamos em consideração nuances nos sabores da bala para arrendondar a receita: como a de manga tem uma personalidade untuosa, usamos bastante dela para fazer o Sauvignon Blanc da Nova Zelândia.

Como surgiu a ideia? Vocês são o primeiro bar de vinhos de jujubas?

Até onde sei, somos sim. A ideia surgiu porque queríamos algo divertido para mostrar às pessoas durante um evento da Zinfandel Advocates and Producers. Levamos as balas, e as pessoas adoraram. Dali partimos para o site e para o desenvolvimento de mais receitas.

Estas jujubas são só para quem gosta de vinho?

Nossas balas são para pessoas de todas as idades, crianças e adultos. Não são só brincadeira. Elas não têm álcool. Vendemos até para restaurantes que querem treinar funcionários que ainda não têm idade legal para beber.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.