Leite acumula alta de 30% de janeiro a junho

Números são do Cepea e refletem o aumento da demanda mundial e a redução do plantel brasileiro

Alexandre Inacio, O Estado de S.Paulo

25 Julho 2007 | 02h55

O mercado de leite passa por um momento positivo, tanto no mercado interno quanto no exterior. A valorização dos preços é puxada pelo aumento da demanda mundial, num período em que os principais países produtores são obrigados a reduzir a oferta por causa de problemas climáticos. No Brasil, a recuperação é considerada sazonal, mas consultores lembram que o setor passou por momentos difíceis nos últimos dois anos e o plantel foi reduzido. Com isso, os preços internos do leite acumulam uma valorização de quase 30% entre janeiro e junho, segundo levantamento do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). O preço do litro em junho foi de R$ 0,6244, 25,5% a mais em comparação ao mesmo período de 2006. ''''A entressafra e o aumento da demanda estão puxando os preços. Os laticínios registram uma estabilidade ou queda na captação de leite já há alguns meses'''', diz a analista Cristiane de Paula Turco, da Scot Consultoria. A tonelada do leite em pó é negociada no mercado internacional ao redor de US$ 5,2 mil. O nível ainda é muito alto para estimular as importações brasileiras, mas elevado o suficiente para que a União Européia retirasse os subsídios, uma vez que os valores recebidos cobrem os custos da atividade, diz o presidente da Comissão de Pecuária de Leite da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Rodrigo Alvim. Mas, a tendência é que os valores internacionais passem a oscilar entre US$ 3,8 mil e US$ 4,2 mil nos próximos anos. ''''Mesmo com o ajuste não acreditamos que os valores voltem para o nível de US$ 2 mil a tonelada'''', diz Alvim.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.