Luiz Prado, do Cade, julgará fusão Americanas/Submarino

O conselheiro Luiz Prado, integrante do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), será o relator do processo de fusão entre as lojas virtuais Americanas.com e Submarino. O negócio foi anunciado no final do ano passado e protocolado no sistema brasileiro de defesa da concorrência em meados de dezembro. A escolha do relator, realizada por sorteio, como todos os casos de aquisições entre empresas submetidos à análise dos órgãos de defesa da concorrência, será agora formalizada com a publicação no Diário Oficial da União. O fato de o processo já ter um relator no Cade não significa que o julgamento da operação ocorrerá rapidamente pois, para isso, ainda precisarão ficar prontos os pareceres da Secretaria de Direito Econômico (SDE) do Ministério da Justiça e da Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae) do Ministério da Fazenda. Em dezembro, técnicos das secretarias adiantaram que possivelmente a análise da SDE e da Seae será conjunta para economizar tempo nessa etapa. Também a Procuradoria Geral do conselho e o Ministério Público que atuam no Cade deverão dar pareceres. Prado é conselheiro do Cade desde agosto de 2004, tendo sido reconduzido para mais dois anos de mandato em agosto do ano passado. Estão entre os casos de maior repercussão no Cade também relatados pelo conselheiro, o fim do code-share (compartilhamento de assentos) entre as companhias aéreas TAM e Varig que ocorreu em maio de 2005. Segundo informação das empresas divulgada em novembro do ano passado, a fusão prevê que os sócios da Americanas.com invistam entre R$ 200 milhões e R$ 300 milhões no capital da nova empresa. A nova companhia, fruto da operação, será chamada de B2W - Companhia Global de Varejo, e terá registro de empresa aberta na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), com listagem no Novo Mercado da Bovespa. O negócio foi avaliado no mercado em R$ 7 bilhões e cria a maior loja de comércio eletrônico brasileira, com faturamento combinado de R$ 2 bilhões/ano, segundo estimativas da venda combinada dos dois sites.

Agencia Estado,

11 Janeiro 2007 | 12h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.