Maioria dos pais americanos joga videogames com os filhos

Mais da metade dos pais que participaram de uma enquete divulgada nesta sexta-feira nos Estados Unidos reconheceu que passa parte de seu tempo jogando videogames, principalmente com seus filhos. A enquete do Grupo Harrison ouviu 1.014 crianças e suas famílias. O resultado mostra que os pais estão cada vez mais familiarizados com os jogos dos seus filhos. O levantamento, encomendado pela empresa americana Activision, revelou que 74% dos pais não se importam de o videogame fazer parte da vida familiar. Oito em cada 10 pais afirmaram conhecer bem o sistema de classificação da indústria que estabelece os títulos apropriados para cada idade. Mais de dois terços dos pais acham que o sistema do Entertainment Software Rating Board ajuda a determinar se um jogo é apropriado ou não para seus filhos. O estudo foi publicado no início da temporada natalina, quando as vendas de novos consoles e jogos costumam disparar. Ao mesmo tempo, o conteúdo violento de alguns videogames se tornou um tema político. Em seus discursos na quinta-feira, os legisladores Hillary Rodham Clinton e Joe Lieberman anunciaram que participarão de uma campanha nacional pela TV para educar sobre o sistema de classificação dos videogames. Clinton já atacou no ano passado o jogo "Grand Theft Auto: San Andreas", um dos mais populares e polêmicos dos últimos tempos.

Agencia Estado,

08 Dezembro 2006 | 04h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.