Mandriva lança versão de Linux que roda em pen drives

Existem diversas versões do sistema operacional Linux que permitem seu uso em dispositivos de armazenamento como pen drives, permitindo que o usuário empregue programas e arquivos em outros micros, sem precisar instalar o sistema operacional. É seguindo esta tendência de comodidade que a Mandriva, empresa resultante da fusão da européia Mandrake com a brasileira Conectiva, anunciou o Mandriva Flash, um pen drive com capacidade de 2 GB, que já vem com o Mandriva Linux 2007 pré-instalado e que chega em breve ao mercado brasileiro. Com esse dispositivo conectado à porta USB, todos os arquivos que forem salvos no computador, independente do seu formato (textos, planilhas, fotos, vídeos etc.), ficam armazenados dentro do sistema operacional e podem ser abertos posteriormente em uma outra máquina, como se a pessoa nem tivesse trocado de computador. Existem versões do Linux que permite funcionalidade semelhante com o sistema gravado em CDs, também conhecido como Live CD, mas com a desvantagem de não permitir a gravação de arquivos. Pacote O Mandriva Flash traz um pacote completo que incluir o Kernel 2.6.17, a interface gráfica KDE 3.5.4, o navegador Mozilla Firefox 1.5.0.6, o pacote e automação de escritório OpenOffice 2.0.3, o editor de imagens Gimp 2.3.10, e outros programas como o AmaroK 1.4.3, KMPlayer 0.9.3, Ekiga 2.0.3 e o K3b 0.12.17. E para tornar as coisas ainda mais fáceis para o usuário, os drivers Adobe Flash Player e RealPlayer também foram incluídos. "O dispositivo é ideal para empresários que viajam bastante ou estudantes que precisam acessar diferentes computadores", explica Paul Guillet, country manager da Mandriva Conectiva.

Agencia Estado,

11 Dezembro 2006 | 15h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.