Mantenha suas listas de audio MP3 em ordem

Organizar a biblioteca digital de áudio torna-se mais fácil e prático; basta que o usuário familiarize-se ao uso das tags

Marcus Vinicius Brasil,

11 Agosto 2008 | 00h00

Depois da internet, a música nunca mais foi a mesma. Mas enquanto a web facilitou a circulação de álbuns e discografias inteiras – graças também à leveza do formato MP3 (que diminuiu o tamanho dos arquivos digitais de áudio) –, ficou mais difícil para manter em ordem qualquer acervo digital, que não raramente chega à casa das centenas de gigabytes (GB). Sem a ajuda de softwares tocadores de MP3 equipados com bibliotecas de mídia, fica difícil colocar tudo em ordem. Entre os mais populares estão o iTunes, da Apple, o Windows Media Player, da Microsoft, e o Winamp, da Nullsoft – empresa subsidiária da AOL Time Warner. Mais que uma solução para quem quer ouvir música através do computador, eles permitem organizar qualquer acervo através de uma das ferramentas mais úteis para quem não quer se perder em meio aos bilhões de bytes sonoros – as tags. O nome é curto, mas corrente na internet (ver box ao lado). As tags são informações embutidas dentro de qualquer tipo de arquivo digital – seja ele um post num blog, uma foto publicada em um fotolog ou mesmo um MP3. Nos arquivos de áudio, elas servem como guias para softwares de reprodução como os citados acima. Quando você coloca uma música para tocar no iPod, são essas "etiquetas" – com nome do artista, do álbum e até capa do disco – que o aparelho mostra na tela O iTunes, por exemplo, exibe as faixas em sua biblioteca guiado apenas pelas tags. Por mais que o usuário tente organizar seus MP3 em pastas do sistema operacional, o software os agrupa de acordo com as etiquetas digitais. Se caso uma única letra estiver errada, a música ficará desassociada dos outros arquivos e aí torna-se mais difícil encontrá-la no meio da enorme lista de arquivos. O DJ Gil Barbara é um exemplo de como o iTunes pode organizar um acervo musical vasto. Dono de um HD de 1 terabyte – dos quais 500 GB são dedicados apenas a músicas – ele tem tudo catalogado por nomes de artistas, álbuns, gêneros e compilações. Além disso, em seu iPhone não há um único álbum sem capa ou nomes de bandas com letras faltando. Mais que uma questão de vaidade, manter tudo em ordem é uma necessidade profissional. Há cerca de dois anos ele deixou de lado a imagem clássica do DJ, que toca com discos de vinil, para se apresentar em festas de São Paulo com CDs abastecidos a partir dos MP3 armazenados em seu HD. "Já usei scripts como o GetArtwork e o iTunesCool para buscar por capas na internet. Além de pastas divididas por artistas, tenho algumas com temas como ‘dub’ e ‘anos 80’", diz Gil. O Windows Media Player e o Winamp também possuem editores próprio de tags, com o qual o usuário pode manter a casa em ordem. Assim como no iTunes, a biblioteca de mídia desses softwares podem ser organizadas mantendo as etiquetas em dia e corrigidas – e ambos possuem sistemas de busca pela internet. "Ainda há gente que organiza suas músicas apenas pelo modo mais tradicional, que é através de pastas. Mas os softwares já trabalham para ordená-las de uma maneira mais inteligente", avalia Ricardo Wagner, gerente de produtos Windows da Microsoft Brasil. Conheça alguns tocadores de MP3.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.