McAfee aponta as tendências de roubo de identidade na Web

A desenvolvedora de soluções de segurança McAfee divulgou os resultados do estudo elaborado pelo McAfee Avert Labs, centro de análises de vírus e ameaças digitais da empresa, destacando as tendências globais na área de roubo de identidade e o aumento considerável desta prática na internet e em computadores. Segundo o relatório, o número de programas mal-intencionados que monitoram a atividade de digitação para capturar senhas e outras informações confidenciais aumentou 250%, entre janeiro de 2004 e maio de 2006. No mesmo período, constatou-se que o número de alertas de phishing rastreados aumentou 100 vezes. O estudo, intitulado ?Identity Theft? (Roubo de Identidade), examina as técnicas do crime, desde abordagens não-técnicas, tais como procura em lixeiras, até o uso de sofisticados programas de captura de digitação. Além disso, apresenta exemplos destacados de casos de roubo de identidade em todo o mundo, além de um panorama dos tipos de criminosos e organizações que se envolvem nessa atividade com fins lucrativos ou para facilitar atos terroristas. Custo O estudo ainda mostra que o roubo de identidade cobra um alto preço das economias nacionais em todo o mundo. Segundo a Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos, o custo anual para pessoas físicas e jurídicas apenas nos Estados Unidos atinge US$ 50 bilhões todos os anos. No Reino Unido, o Ministério do Interior calculou que o custo deste crime para a economia britânica foi de US$ 3,2 bilhões nos últimos três anos e algumas estimativas do Centro Australiano de Pesquisas de Segurança Pública constataram um gasto de US$ 3 bilhões anuais.

Agencia Estado,

18 Janeiro 2007 | 09h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.