Microsoft compra empresa de busca semântica

Aquisição da Powerset é uma tentativa de derrubar o Google, líder nas buscas de internet

03 Agosto 2008 | 00h00

A Microsoft comprou, no mês passado, a pequena empresa de busca na internet Powerset. A aquisição da companhia, desenvolvedora das chamadas "buscas semânticas", é uma tentativa da criadora do Windows de bater o Google, líder de buscas na web. Leia entrevista com Barney Pell, presidente da Powerset, hoje no caderno Economia & Negócios. Há quem diga que até mesmo a popularidade das tags – em que usuários associam páginas, imagens e textos a palavras-chave – já é o início da construção de uma web semântica. Serviços de "social bookmarking" como o famoso Delicious, que passou por uma reestruturação no mês passado, seriam o começo para a elaboração de uma internet mais inteligente. Também chamada de Web 3.0 por alguns futurólogos, a suposta superação do atual modelo de redes sociais já possui alguns embriões. Em junho deste ano, o surgimento do Tag Galaxy, que organiza fotos do Flickr de modo visual e a partir das tags das imagens, também fez barulho na web. A teoria possui respaldo de pensadores famosos da cibercultura. O filósofo Pierre Lévy, por exemplo, aposta em uma linguagem que permita articular todos os conhecimentos acumulados na web como blocos semânticos de informação. "Falo em algo que permita que as pessoas manipulem esses conhecimentos ilimitados, um sistema diferente de pensar a vida", sugere Lévy.

Mais conteúdo sobre:
futuro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.