Microsoft diz que celular iPod será desafio para a Apple

A Apple Computer enfrentará alguns obstáculos sérios se decidir criar um celular baseado em seu popular player de música iPod, disse o chefe da divisão de entretenimento da Microsoft. Robbie Bach, presidente da divisão de entretenimento e aparelhos da Microsoft, disse que seu grupo também está estudando integrar um celular ao player digital de música Zune, mas lançar um modelo como esse não é prioridade. A Microsoft lançou seu player de música portátil Zune em novembro, e estabeleceu meta de venda de mais de um milhão de unidades antes do final de junho. Trata-se do primeiro aparelho projetado pela Microsoft em um mercado dominado pela Apple, que vendeu mais de 70 milhões de iPods desde o lançamento do player, em outubro de 2001. A rival permanente da Apple planeja oferecer novos modelos Zune este ano, mas Bach disse que as pessoas não deveriam contar com um modelo dotado de funções telefônicas, pelo menos em curto prazo. "Provavelmente é uma das coisas que consideraremos, mas não é nossa prioridade", disse Bach, falando a analistas na Consumer Electronics Show, em Las Vegas. Muitos observadores da Apple antecipam que o co-fundador e presidente-executivo do grupo, Steven Jobs, anuncie um celular iPod na conferência Macworld, em San Francisco, nesta terça-feira. Os analistas estimam que um celular como esse seria vendido por entre 200 e 400 dólares, a depender de sua configuração. Os analistas disseram que a Apple poderia vender o telefone acompanhado de um pacote próprio de serviços de telefonia, em formato MVNO, ou mobile virtual network operator, sob o qual a empresa alugaria capacidade excedente das operadoras de telefonia móvel existentes. Ou, disseram, a Apple poderia vender o telefone "desbloqueado", caso em que os compradores poderiam optar por sua operadora de telefonia móvel favorita. Bach disse que celulares MVNO freqüentemente causam dificuldades na relação entre a operadora virtual e a operadora que fornece a capacidade primária. "Historicamente, trabalhar com parceiros nunca foi um ponto forte da Apple, de modo que eles talvez tenham de encontrar uma maneira de contornar esses relacionamentos", afirmou. Bach também disse que projetar um celular acarreta diversas decisões, por exemplo sobre a duração de bateria, tamanho de tela e organização de recepção. "É preciso determinar em que o aparelho será melhor - um ótimo telefone ou um ótimo player? Se for um ótimo player, será só mais um iPod tentando se passar por telefone", disse Bach.

Agencia Estado,

09 Janeiro 2007 | 12h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.