Microsoft fecha parceria com site de busca chinês Baidu

A Microsoft acaba de fechar um acordo estratégico com o principal site de busca na internet da China, o Baidu.com, para a distribuição, nos portais da multinacional americana, de resultados de busca publicitários, segundo a edição de hoje do jornal "Shanghai Daily". Pelo acordo, que entrará em vigor ainda este mês, as páginas da Microsoft - como MSN, Live e outros portais da companhia na China -, incluirão em seus conteúdos os links oferecidos pelo Baidu quando se faz uma busca no site chinês. A Microsoft receberá uma porcentagem dos lucros de publicidade que o Baidu obtiver com os links disponibilizados nos portais da multinacional americana. "Esperamos que esta associação aumente muito nossos lucros com links publicitários", disse Xu Jiye, porta-voz do Baidu. O site de busca chinês teve lucro de 237,6 bilhões de ienes nos primeiros nove meses do ano (cerca de ? 23 milhões), valor 170% superior ao verificado no mesmo período de 2005. Cerca de 80% do lucro são decorrentes de acordos como o que estabeleceu com a Microsoft. O Baidu espera fechar o ano com lucro entre US$ 34 milhões e US$ 35 milhões (? 26 milhões a ? 27 milhões). Perspectivas O diretor-geral de publicidade da Microsoft para a China, Erik Johnson, afirmou que o país é "um dos mercados mais importantes" para a empresa. "A aliança estratégica com o Baidu nos ajudará a oferecer novas oportunidades aos anunciantes, aumentando nosso negócio com os mecanismos de busca na China". Segundo a empresa de consultoria de Xangai iResearch, 88,4% dos internautas chineses utilizam o Baidu como site de busca, enquanto apenas 6,9% usam os sistemas da Microsoft, com dados de outubro. Além disso, em relação ao número de visitas apuradas pela empresa de consultoria, o Baidu possui 63,7% do mercado chinês, uma grande vantagem sobre outros portais de busca como Google (19,2%) e Yahoo (7,6%).

Agencia Estado,

15 Dezembro 2006 | 15h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.