Carlos Magno/Governo do RJ/Divulgação
Carlos Magno/Governo do RJ/Divulgação

Moradores xingam Cabral e Paes de 'corruptos' e 'safados'

Governador e prefeito estiveram em escola usada como ponto de apoio para atingidos por rompimento de adutora em Campo Grande; menina de 3 anos morreu

MARCELO GOMES, Agência Estado

30 Julho 2013 | 12h42

Durante a entrevista que o governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes deram a jornalistas em Campo Grande, numa sala de aula da Escola Municipal Casimiro de Abreu, uma moradora gritou do lado de fora da escola: "Isso é uma vergonha, gente! Tem gente morrendo aqui". Uma menina de três anos morreu e outras pessoas ficaram feridas após o rompimento de uma adutora no bairro na madrugada desta terça-feira, 30. A escola está sendo usada como ponto de apoio da Secretaria Municipal de Assistência Social, que faz cadastramento dos moradores atingidos pelo rompimento da tubulação da Companhia Estadual de Água e Esgoto no bairro.

A entrevista foi encerrada depois de cerca de cinco minutos e os dois saíram da sala, com seguranças e assessores, para pegar uma van com vidros escuros, estacionada no pátio da escola, que os levaria embora. Quando a van cruzou o portão e chegou à rua, moradores cercaram o veículo e xingaram o governador e o prefeito de "safados" e "corruptos".

Quando a van foi embora, acompanhada de um carro preto da segurança, uma mulher continuou: "Eles dizem que vão indenizar todo mundo, mas isso é mentira! Já perdi minha casa há três anos e não recebi nada."

Nas redes sociais, Cabral e Paes também foram alvo de críticas por causa do acidente. "Quero saber quando Sérgio Cabral, Eduardo Paes e empresas vão ser julgad@s em seus crimes. Vide adutora que estourou hoje em Campo Grande", disse Conrado Werneck no Twitter.

Mais conteúdo sobre:
adutora Cabral Paes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.