1. Usuário
Geral
Assine o Estadão
assine

Multidão se despede de Eduardo Campos em Recife

PAULO WHITAKER - REUTERS

17 Agosto 2014 | 15h 32

Milhares de pessoas fizeram fila neste domingo para se despedir do candidato do Partido Socialista Brasileiro (PSB) à Presidência da República, Eduardo Campos, e participaram de uma missa campal em homenagem ao político, em Recife (PE).

    Campos, 49 anos, morreu em um acidente de avião na manhã de quarta-feira, no litoral de São Paulo, junto com outras seis pessoas que estavam na aeronave.

O avião levava o socialista do Rio de Janeiro a Santos, onde ele cumpriria agenda de campanha, quando caiu sobre prédios em um bairro residencial. Campos deixa a mulher, Renata, e cinco filhos.

    Em uma missa de corpo presente na praça da República, celebrada pelo arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, filhos de Campos também prestaram homenagem ao pai.

    Antonio Campos lamentou a morte do irmão e pediu união após participar da missa realizada em Recife.

"Ganhar ou perder a eleição faz parte da vida, mas perder Eduardo, a figura humana de Eduardo e o líder que era Eduardo, neste momento, não estava no nosso roteiro. É uma perda muito grande. É um momento em que a gente tem que se unir. Eduardo deixou cinco filhos", disse Antonio Campos a jornalistas.

    O irmão ressaltou ainda o longo empenho de Eduardo Campos na militância na vida política, lembrando outros membros que o antecederam nessa caminhada, como o avô, Miguel Arraes, que foi um dos ícones da esquerda na resistência à ditadura militar no Brasil e também governou Pernambuco.  

    "Eduardo faz parte de uma história de uma luta muito antiga... Essa luta continuou pela mão de Eduardo e vai continuar na luta de diversos companheiros que ficaram e vão empunhar sua bandeira, por um Brasil mais justo, mais democrático, um Brasil melhor. É o que Eduardo sonhava e sonhou até seus últimos minutos."

HOMENAGEM

Além de familiares e da população, diversos políticos e autoridades foram se despedir de Campos, cujo corpo começou a ser velado na noite de sábado no Palácio Campo das Princesas, sede do governo pernambucano.

    Arlete Oliveira, professora aposentada, que foi ao velório nesta manhã, lembrou do papel de Campos à frente do governo no Estado.

    "Uma interrogação continua sobre o acidente, uma fatalidade ou um acidente? Eduardo foi maravilhoso, olhava muito para os pobres, Pernambuco cresceu muito no seu governo. Ele deixou uma lição de vida de um bom pai de família e um excelente governador", disse Arlete.   

    Governador de Pernambuco por dois mandatos, Campos posicionava-se como um socialista pró-empresários e tinha cerca de 10 por cento das intenções de voto nas últimas pesquisas para a corrida presidencial, atrás da presidente Dilma Rousseff (PT) e de Aécio Neves, candidato à Presidência pelo PSDB.

    A presidente Dilma Rousseff, que participou das homenagens acompanhada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi brevemente vaiada.

À espera para prestar uma última homenagem, Luiza Silva que estava na fila questionou a presença de Dilma e Lula. "Perdemos um líder, um dos melhores governadores que o Estado já teve, mas vocês ouviram, né? A Dilma foi vaiada, estamos de luto e acho uma vergonha Dilma e Lula virem no velório"

O candidato Aécio Neves e a ex-senadora Marina Silva, candidata a vice de Campos que vai assumir a chapa, também foram se despedir do político.

    Muitos dos que estiveram no velório e assistiram à missa campal carregavam bandeiras de Pernambuco, do PSB e da campanha de Campos, além de cartazes prestando homenagem ao candidato. Segundo estimativa da Polícia Militar, 100 mil pessoas participaram missa. Alguns vestiam camiseta com a foto de Campos estampada e a frase: "Não vamos desistir do Brasil."   

    O corpo de Campos será levado em cortejo da Praça da República, na região central de Recife, até o cemitério de Santo Amaro, onde será enterrado no túmulo de seu avô, o político Miguel Arraes, que também morreu em 13 de agosto. 

    Os corpos do assessor de imprensa de Eduardo Campos, Carlos Percol, e o fotógrafo da campanha, Alexandre Severo, também estão sendo velados e serão enterrados em Recife.