Na Áustria, é 'à vienense'

Austríacos adoram milanesa, que chamam, claro, de "vienense". Não há um café, bar ou restaurante de luxo que dispense os Wiener Schnitzels do cardápio.No Wine Summit, grande encontro vinícola anual que precede a Vievinum, até organizaram uma aula de como preparar o prato para os quase 200 jornalistas presentes. Nas antigas cavalariças de Sua Imperial Figura Joseph II, onde existe agora uma cozinha, todo mundo com uma panela pesada de cobre martelava seus bifes. Escalopes de vitela, ideais pelas fibras da carne para essa operação de esticagem, eram passados em farinha de trigo, ovos e farinha de rosca e levados à frigideira pelos desastrados autores. Na hora de comer, quem esperava cerveja ou a versátil uva Grüner Veltliner, teve a proposta pouco usual de uma ampla escolha de frescos e frutados Sauvignon Blancs da Styria. Essa região no extremo sul, apelidada de Piemonte Austríaco, dá ótimos brancos. Eu fui de Tement Steirischer Klassik, em que o Klassik se refere à não-utilização de madeira. O atrevido Manfred Tement também faz alguns fermentados em carvalho, curiosos, mas pesados. O vinho era bom. Já o "vienense" de minha autoria, nem tanto.

Luiz Horta, O Estado de S.Paulo

26 Junho 2008 | 03h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.