Nasa investiga sabotagem em computador

Equipamento iria para Estação Espacial Internacional a bordo do ônibus espacial Endeavour.

BBC Brasil, BBC

27 Julho 2007 | 03h00

A Nasa (a agência espacial americana) está investigando a sabotagem de um computador que seria enviado à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) a bordo do ônibus espacial Endeavour. "Os danos são óbvios, fáceis de detectar", disse o responsável por operações espaciais da Nasa, William Gerstenmaier. Segundo ele, um funcionário terceirizado cortou fios do computador antes que fosse instalado no Endeavour. Gerstenmaier afirmou, no entanto, que os engenheiros da Nasa vão tentar solucionar o problema antes da partida do Endeavour, prevista para 7 de agosto. A Nasa também afirmou que a segurança dos astronautas não foi colocada em risco. Este é o primeiro ato de sabotagem descoberto pela Nasa em um de seus equipamentos. O fato foi divulgado ao mesmo tempo em que a revista especializada Aviation Week and Space Technology publicou que, em pelo menos duas ocasiões, astronautas da Nasa participaram de missões bêbados. Segundo a revista, uma investigação interna conduzida pela Nasa descobriu que esses astronautas receberam permissão para decolar apesar de médicos e colegas terem alertado que eles estavam bêbados demais e poderiam colocar a segurança da viagem em risco. Essa comissão de médicos da Nasa para investigar a saúde física e mental de seus funcionários foi instalada depois que a astronauta Lisa Nowak foi presa, em fevereiro deste ano, acusada de planejar o seqüestro de outra mulher que, segundo ela, seria sua rival na disputa pelo amor de um colega na agência espacial. O relatório, que não menciona o nome de Nowak nem de outros funcionários, deverá ser divulgado oficialmente pela Nasa nesta sexta-feira. A agência ainda não comentou os resultados da investigação. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
nasa, sabotagem, iss, endeavour

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.