Nintendo reforça aposta nos casuais

Durante o NEX, evento exclusivo para a América Latina , gigante japonês dos games reuniu parceiros e mostrou sua força

Jocelyn Auricchio,

25 Agosto 2008 | 00h00

Depois de uma longa ausência no mercado brasileiro, a Nintendo mostra que tem grandes planos para o Brasil e para a América Latina. E o jogo casual, sua especialidade, é a principal arma para conquistar um lugar na casa dos latino-americanos. "O potencial econômico de longo prazo da América Latina torna esse mercado muito importante para os videogames", disse Reggie Fils-Aime, presidente da Nintendo of America. "A Nintendo registrou crescimento fenomenal na região ao longo dos últimos anos, crescimento superior ao que tivemos nos EUA", acrescentou Fils-Aime na Nintendo Experience Latin America 2008 (NEX), que reuniu as empresas mais importantes do mercado de games, além dos principais lojistas da América Latina. O evento, que foi uma espécie de mini-E3, mostrou as novidades da Nintendo e de seus parceiros para o final desse ano e começo de 2009. "O Brasil é uma prioridade para nós. Existe uma paixão dos brasileiros pela Nintendo e queremos recompensar essa devoção dando nosso melhor", afirmou Cammie Dunaway, vice-presidente da empresa. Enquanto no resto do mundo o mercado de games mostra uma leve desaceleração no crescimento, na América Latina o potencial de crescimento é enorme. Segundo a Nintendo, o mercado de games da região pode movimentar cerca de 2 bilhões de dólares este ano. Só o Panamá, com pouco mais de 3 milhões de habitantes, tem um mercado de games muito maior que o Brasil. Se forem criadas condições favoráveis, como impostos mais justos, o Brasil pode se tornar um dos mercados mais rentáveis do planeta. O repórter viajou a convite da Nintendo Veja alguns destaques da NEX 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.