Arquivo Pessoal
Arquivo Pessoal

Noivos provam que é possível casar com menos de R$ 10 mil

Com opções criativas, casais economizam na celebração sem abrir mão do sonho de subir ao altar

Rafaela Malvezi, Especial para o Estado

08 Agosto 2015 | 03h00

A festa de casamento de Angélica e Denis vai ter 60 pessoas – e não as 130 da lista original. Já Marcela e Guilherme trocaram o salão e o bufê por um restaurante em que cada convidado pagou a sua parte. No mercado bilionário de casamentos, é assim que funciona: quando o bolso dos noivos aperta, eles se adaptam, mas não desistem do sonho.

Para o consultor financeiro Gustavo Cerbasi, autor de Casais Inteligentes Enriquecem Juntos, é fundamental entender que tudo o que o dinheiro não compra, a criatividade ajuda. Foi assim que Marcela Baptista, de 28 anos, e Guilherme Higa, de 30, gastaram menos de R$ 7 mil no tão esperado dia. O valor está bem abaixo da média. Profissionais do mercado estimam que uma festa básica, com 200 pessoas, custe entre R$ 40 mil e R$ 70 mil.

O casal fez a festa em um restaurante que oferece bufê, bolo, banda e decoração, além do espaço. Para isso, desembolsaram apenas o custo para 30% dos convidados. “Eles pedem esse sinal para não terem prejuízo, caso muitos faltem”, diz Marcela. Já os outros convidados pagaram R$ 68 cada. Em troca, os noivos não fizeram lista de presentes. “Nosso presente foi ter amigos e parentes reunidos.”

Esses pacotes são boas alternativas, mas é preciso pesquisar e buscar referências antes de fechar negócio. Só na Expo Noivas e Festas, uma das maiores feiras do gênero, há mais de 200 fornecedores.

Angélica Zanetti, de 30, e Denis Olivares, de 29, querem dar entrada na casa própria e não pretendem gastar muito. Com isso, a sonhada cerimônia na praia precisou dar lugar a um minicasamento no salão de festas de um parente. “Ia sair quase o triplo”, conta a noiva. A lista de convidados caiu à metade, assim como os gastos com bufê, decoração e lembranças. A expectativa agora é se manter nos R$ 10 mil. “Apesar da mudança, vai ficar do jeito que queríamos: intimista e simples”, diz Angélica, que se casa em setembro.

Os dois casais ainda contaram com amigos para economizar. No caso de Marcela, o design e a impressão dos convites da festa foram feitos pelos cunhados. Já Angélica ganhou o vestido de uma amiga que tem uma loja de aluguel de trajes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.