O desafio é transformar um bolo de chocolate tamanho G em P

Sociólogo e cozinheiro amador, Freire aceitou a missão

Lucinéia Nunes, O Estado de S.Paulo

14 Janeiro 2010 | 03h36

"Não quero estragar a reportagem. Nunca fiz bolo e não imagino um solteiro que faça um pequeno só para ele", disse o sociólogo Carlos Torres Freire. Ainda intrigado, aceitou o desafio.

Por e-mail, recebeu a receita do chiffon de chocolate do pâtissier Rafael Barros, da Ópera Ganache, e a missão de reduzir a receita de um bolo de 25 cm de diâmetro para um individual de 10 cm. Barros recebeu a mesma tarefa: testar as medidas e adaptá-las a uma porção.

Carlos cozinha diariamente e evita sanduíche, micro-ondas e comida pronta. Ir para o fogão dá a ele a sensação de estar sempre comendo algo novo, "mesmo que seja comida requentada". Uma das vantagens de morar sozinho, diz, é poder investir em bons ingredientes. "O que nem sempre é possível numa família, em que o consumo é maior." Em vez de um parmesão qualquer, compra um pecorino, um bom azeite e outros produtos de qualidade. O sociólogo também não faz estoque. Para manter a geladeira abastecida, vai ao mercado três vezes por semana - o que comprova a pesquisa do IBGE de que os "sozinhos" compram mais alimento que a média dos casais com filhos e vão mais ao mercado.

O TESTE

Acostumado a trabalhar com tabelas, Carlos recorreu ao Excel para dividir os ingredientes: jogou os números no programa e reduziu a receita a 40%. Já na cozinha, pesou cada item para obter, por exemplo, 4g de fermento ou 50g de açúcar. Mas e os ovos? Considerando que a gema pesa, em média, 20g e, a clara, 30g, usou dois ovos.

A massa rendeu mais do que devia: um bolo de 10 cm de diâmetro e outro de 8 cm - o mesmo ocorreu com o ganache. Mas o resultado o surpreendeu. "Ficou fofo. Está gostoso mesmo. Você tinha razão. Com certeza farei bolos só para mim."

Para chegar ao bolinho ideal, o pâtissier Rafael Barros fez a massa para um bolo de 25 cm e o dividiu em oito formas redondas com 10 cm de diâmetro. Refez os cálculos e testou a receita já adaptada a um bolinho.

"Para um bolinho, um ovo é o suficiente", diz. "É possível reduzir qualquer receita. Dá certo. Basta um pouco de disciplina, separar os ingredientes antes e, se possível, ter uma balança na cozinha", diz Barros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.