1. Usuário
Geral
Assine o Estadão
assine


Operação fez buscas em casa de marqueteiro e executivo

ELDER OGLIARI - Agência Estado

17 Março 2014 | 19h 01

A Polícia Federal fez buscas em Porto Alegre na casa do jornalista e consultor de marketing Marcos Martinelli e do engenheiro e mestre em gestão empresarial Eduardo Antonini durante a Operação Lava Jato, nesta segunda-feira, 17.

O primeiro passou por todas as grandes emissoras de televisão brasileiras e, posteriormente, tornou-se especialista em campanhas eleitorais, conduzindo inclusive a vitoriosa campanha de José Fortunati à prefeitura de Porto Alegre em 2012. O segundo foi presidente de Grêmio Empreendimentos até 2012, período em que a empresa construiu a Arena, estádio no qual o clube de futebol gaúcho manda seus jogos desde o início do ano passado.

Em nota postada no Facebook, Martinelli informou que está em Roraima, a trabalho, não compra nem vende dólares, não tem conta no exterior e nem era a pessoa citada no mandado portado pela Polícia Federal. Mesmo assim, destaca que sua mulher deixou os policiais entrarem. "Vasculharam tudo, reviraram tudo e nada encontraram, claro, pois nada de errado tinha", afirma. "Dentro do trabalho de praxe, levaram documentos e meu computador para verificação; certamente nada encontrarão que me leve a fazer parte do tal complô bilionário".

Martinelli lembra, ainda, que sempre foi contra ações "espetacularizantes" e prometeu que, assim que souber o que está acontecendo, informará. Antonini não retornou as ligações da reportagem do Estado. Sem gravar entrevista, disse à Rádio Gaúcha que estava surpreso e não tinha ideia do que aconteceu.