Para Microsoft, só ela e Google disputam audiência na Web

A Microsoft e o Google são as duas únicas empresas com recursos financeiros suficientes para disputar a audiência da Web, afirmou o diretor da divisão de internet da gigante do software. O Yahoo, um dos grandes sites pioneiros da Web, pode ficar de fora, observando a competição pelos dólares da publicidade online, afirmou Steve Berkowitz, diretor do grupo de serviços online da Microsoft. Em entrevista, Berkowitz disse que as empresas precisam ter o poder financeiro para atrair e reter a audiência da Web, conquistar anunciantes com informações sobre essa audiência e construir poderosos centros de processamento de dados. O grupo de serviços online da Microsoft, antes conhecido como MSN, atualmente está atrás do Yahoo e do Google em áreas lucrativas como busca. A unidade está perdendo dinheiro enquanto os rivais estão conseguindo lucros maiores com publicidade na Web. Berkowitz informou que o fator importante com o qual a Microsoft conseguirá aproximar-se dos rivais é conseguir que as centenas de milhões de usuários que usam seus serviços de e-mail e mensagens instantâneas visitem mais freqüentemente seus sites e naveguem por eles mais tempo, além de usarem outros recursos como busca e rede social. Também será necessário investimento pesado que somente as empresas maiores poderão bancar. A Microsoft pode contar com os recursos fartos que vêm dos negócios com software, enquanto o Google tem lucros elevados com publicidade e suas ações geram benefícios por conta da elevada valorização, disse o executivo. "Você tem que ser capaz de investir em um nível que somente duas empresas no mundo podem agora aplicar, e elas são o Google e a Microsoft", disse Berkowitz, que ingressou na gigante do software em maio, depois de deixar a presidência-executiva da Ask.com, da IAC/InterActiveCorp. Disputa O executivo afirmou que o Yahoo é uma empresa boa e altamente lucrativa, mas argumentou que não tem "o luxo do tamanho". O valor de mercado da Microsoft é quase duas vezes maior que o do Google e oito vezes maior que a capitalização de mercado de 37 bilhões de dólares do Yahoo. Recentemente, o Yahoo revelou mudanças em sua administração e plano de se dividir em duas áreas principais, uma focada em mídia e outra dedicada à publicidade e a comércio eletrônico. Haverá ainda uma terceira que será concentrada em tecnologia. "O Yahoo superou o MSN tanto em publicidade gráfica como vinculada a buscas", afirmou Joanna Stevens, porta-voz do Yahoo, em resposta ao executivo da Microsoft. "Os números falam por si mesmos." A Microsoft pretende investir neste ano fiscal um adicional de 500 milhões de dólares em seu grupo de serviços online. Até há alguns anos, a Microsoft não tinha um mecanismo de busca próprio ou uma estratégia clara de publicidade online, confiando em um sistema controlado pelo Yahoo para participar do segmento. Desde então, a empresa lançou o adCenter, considerado pela Microsoft como uma central para anunciantes interessados em várias plataformas digitais. A empresa também unificou seus serviços online (e-mail, mensagens instantâneas e busca), sob a marca "Windows Live". A Microsoft recebe 450 milhões de usuários por mês nas páginas de vários de seus serviços na Web. "Temos uma grande audiência, mas o engajamento dela não é profundo como deveria ser", disse Berkowitz. "Isso foi considerado negativo por meus predecessores, mas para mim é um ativo, porque se eu conseguir aumentar o engajamento da audiência, então eu serei capaz de elevar nossa participação sem gastar com marketing."

Agencia Estado,

11 Dezembro 2006 | 15h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.