Para SBPC, texto é confuso e pode abrir precedentes

Para Helena Nader, presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), o texto da portaria da Capes é confuso e pode abrir margem para que muitos ex-bolsistas não retornem ao País, já que toda pesquisa financiada com dinheiro público é relevante.

O Estado de S.Paulo

05 Dezembro 2012 | 02h03

"A solução para o problema não é abrir a porta. Pesquisa que não é relevante não é financiada. Como avaliar o que é relevante?Do jeito que a portaria está escrita, abre um precedente para os milhares de bolsistas que viajam todo ano não voltarem", avalia.

Para Helena, a Capes deveria analisar cada caso individualmente, sem ter uma portaria. "Não dá para legislar em cima da exceção", diz. Para ela, nem o fato de a pesquisa ser relevante justificaria o não retorno ao País. "Ele tem de voltar. Se não quiser, tem de devolver o dinheiro para a União." / F.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.